terça-feira, 28 de julho de 2009

QUEM prepara teu pára-quedas ?


Charles Plumb era piloto de um bombardeiro na guerra do Vietnã.Depois de muitas missões de combate, seu avião foi derrubado por um míssil.Plumb saltou de pára-quedas, foi capturado e passou seis anos numa prisão norte-vietnamita. Ao retornar aos Estados Unidos, passou a dar palestras relatando sua odisséia e o que aprendera na prisão.Certo dia, num restaurante, foi saudado por um homem:
- “Olá, você é Charles Plumb, era piloto no Vietnã e foi derrubado, não é mesmo?”- “Sim, como sabe?”, perguntou Plumb.- “Era eu quem dobrava o seu pára-quedas. Parece que funcionou bem, não é verdade?”Plumb quase se afogou de surpresa e com muita gratidão respondeu:“Claro que funcionou, caso contrário eu não estaria aqui hoje.”
Ao ficar sozinho naquela noite, Plumb não conseguia dormir, pensando e perguntando-se:
“Quantas vezes vi esse homem no porta-aviões e nunca lhe disse Bom Dia? Eu era um piloto arrogante e ele um simples marinheiro.”
Pensou também nas horas que o marinheiro passou humildemente no barco enrolando os fios de seda de vários pára-quedas, tendo em suas mãos a vida de alguém que não conhecia.
Agora, Plumb inicia suas palestras perguntando à sua platéia:
“Quem dobrou teu pára-quedas hoje?”.

Todos temos alguém cujo trabalho é importante para que possamos seguir adiante. Precisamos de muitos pára-quedas durante o dia: um físico, um emocional, um mental e até um espiritual.
Às vezes estamos tão ocupados que perdemos de vista o que é verdadeiramente importante e as pessoas que nos salvam no momento oportuno sem que lhes tenhamos pedido. Deixamos de saudar, de agradecer, de felicitar alguém, ou ainda simplesmente de dizer algo amável.
Hoje mesmo, tente perceber quem prepara teu pára-quedas e agradece-lhe. Mesmo que não tenhas nada de importante a dizer, envia esta mensagem a quem fez isto alguma vez.As pessoas ao teu redor notarão esse gesto, e te retribuirão preparando teu pára-quedas com esse mesmo afeto.Todos precisamos uns dos outros, por isso, mostra-lhes tua gratidão. Às vezes as coisas mais importantes da vida dependem apenas de ações simples: um telefonema, um sorriso, um agradecimento, um gosto muito de você, um eu te Amo, um obrigado por todos os favores que recebi de ti e nunca agradeci.
**Obrigada a todos que me acompanham por aqui e tornam a minha vida muito mais feliz.

10 comentários:

Mônica disse...

Não é elogio simplesmente. Mas há muito tempo não leio um texto tão agradável.
Eu tinha uma cantineira que por mais barato ou caro que eu desse para ela e seus filhos e para os alunos. Ela agradecia.Muito Obrigada dona Monica. E ainda mandava duzias de ovos, flores para a mamae,verduras de sua horta. E eu ficava envergonhada de tanta gentileza. isto porque dei umas balinhas pras criancas, umas lembrancinhas nos dias dos pais, ou simplesmente uma carona.
Mas ela nunca esquecia de agradecer.
Ela foi meu para quedas por muito tempo.
e aqui pertinho de mim passado roupa está a Valeria. sem o seu para queda , pilotando o fogão eu morreria de fome, junto com a mamae.
Eu estou escrevendo e contando a história do paraqueda. E agradecendo.
Com amor Monica

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Excelente análise, Lisa! São muito realistas as conclusões que tira. Andamos quase sempre distraídos, aolhar para o nosso umbigo e esuqcemos a importância das outras pessoas na noss vida. Bem haja por nos fazer lembrar isso.

Mônica disse...

Lisa
Eu esqueci de agradecer o livro. Já enviei para minha amiga que tem uma filha que tem email.
Vou telefonar a noite para saber se recebeu. Se não vou imprimir e enviar pelo correio. Eu li e adorei. Vou imprimir também.

O papai fazia assim: todos os carros que tinha na casa era benzido. O dele que era veraneio, o meu que era um voques, o do Renato, o do Homero , porque houve uma epoca que eles tinham carros ganhados dos padrinhos. O caminhão da fazenda,e o trator se estivesse na cidade.
Todos os carros e veiculos eram abençoados pelo padre. A procissão de carros era imensa e depois da benção davamos uma volta pela cidade.
Com carinho Monica

Heloísa disse...

Lisa,
Texto muito bonito, e que propicia uma boa reflexão.
Beijo.

Aninha Leme disse...

Ai que lindo, Lisa!
é sensacional a sua interpretação/ ponto de vista!

parabéns!

beijos!

Luz disse...

Lisa

Mais uma vez...a sintonia.
Leia o meu post.
Que coisa fantástica.
Bom tê-la abrindo meu para-quedas e fazendo a diferença!

beijinhos

Amynon disse...

Bem , pra mim quem tem preparado é minha mãe. Sem ela e os cuidados diários dela eu já teria sucumbido . Muito bonito o que você escreveu, que bom tivemos a chance de conhecer seu blog.
Gostei bastante do que você comentou la no Amynon sobre nadar contra a corrente tem que haver equilíbrio realmente e sabedoria pra saber quando nadar contra a corrente e quando deixa ela nos levar.
Um abraço !

Elisa no blog disse...

Seu blog está te deixando mais feliz? A mim também. E com o meu blog sinto que estou mais feliz também. Como é bom ter blog, não?
é o nosso pára-quedas de certa forma, não acha?

Não tinha reparado que vc é boemia, mas é legal. Quando vem os filhos a gente não consegue mais sair `a noite.
Elisa

bacouca disse...

Lisa,
Na verdade se todos se lembrassem dos paraquedas! Com tudo seria mais fácil: um simples sorriso, um simples bom dia, um simples obrigado, um simples minuto de atenção como pode mover montanhas!
Caraças apetece-me perguntar: será assim tão difícil?
Um beijinho

GJ disse...

Lisa, vim agradecer e retribuir a sua visitinha na minha casa.
Parabéns pelo post. Gostei muito, as pessoas são a nossa maior jóia.