sexta-feira, 31 de julho de 2009

BOM FIM DE SEMANA

A melhor fórmula para uma vida miserável é deixar de fazer as coisas
pelas quais somos apaixonados. A melhor maneira de prever o futuro, é criá-lo.
(Peter Drucker)

quinta-feira, 30 de julho de 2009

AOS 103 ANOS DO POETA

Hoje, dia 30, o poeta Mário Quintana completaria 103 anos, e por esta data única, a Casa de Cultura Mario Quintana elaborou uma programação toda especial, com um roteiro de atividades bem diversificadas, oferecendo ao público debates, espetáculos de música e poesia, apresentação de peças teatrais e oficina infantil.
Hoje às 20h, terá a apresentação da peça "Sobre Anjos e Grilos". O Universo de Mario Quintana é um espetáculo no qual a atriz Deborah Finicchiaro apresenta poemas e trechos de entrevistas do poeta. A peça fala sobre amor, morte, guerra, destruição do meio ambiente e valorização da vida.
Amanhã, dia 31, a Discoteca Pública Natho Henn oferece o Clássicos em Destaque, com a Camerata , Jovem de Porto Alegre, que apresenta as músicas preferidas do poeta.
No sábado, 1° de agosto, acontece o Bazar Cultural Aniversário do Poeta, promovido pela Associação dos Amigos da CCMQ, e à tarde a oficina infantil Recriando o Poeta, com trabalho de reciclagem, oferecida pela Oficina de Arte Sapato Florido, ministrada por Adriana Xaplim. O encerramento da programação acontece no domingo, dia 02 de julho, a partir das 17h, com a peça "Família Desencontrada". Toda a programação do projeto 103 Anos do Poeta Mario Quintana é gratuita e pode ser conferida no site da CCMQ – www.ccmq.com.br, ou pelo telefone (51) 3221-5147. Deixo com vocês, um pouco de poesia deste poeta que gosto tanto:

Antes e depois:
Sentir primeiro,
pensar depois,
Perdoar primeiro,
julgar depois
Amar primeiro,
educar depois
Esquecer primeiro,
aprender depois
Libertar primeiro,
ensinar depois
Alimentar primeiro,
cantar depois
Possuir primeiro,
contemplar depois
Agir primeiro,
julgar depois
Navegar primeiro,
aportar depois
Viver primeiro,
morrer depois.

Da Perfeição da Vida:
Por que prender a vida em conceitos e normas?
O Belo e o Feio. O Bom e o Mau. Dor e Prazer.
Tudo, afinal, são formas e não degraus do Ser.
No fundo, não há bons nem maus.
Há apenas os que sentem prazer em fazer o bem
e os que sentem prazer em fazer o mal.
Tudo é volúpia.

A vida é um incêndio:
nela dançamos, salamandras mágicas
Que importa restarem cinzas se a chama foi bela e alta?
Em meio aos toros que desabam,
cantemos a canção das chamas!
Cantemos a canção da vida,
na própria luz consumida.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

DICA DE FILME

Assisti ontem ao filme “Inimigos Públicos“, dirigido por Michael Mann. O longa é uma adaptação do romance de Bryan Burrough, que se passa nos anos 1930 no auge da criminalidade nos EUA. Johnny Depp, (que aliás está melhor que nunca), interpreta John Dillinger, um ladrão carismático que assaltava bancos em plena grande depressão norte-americana, o qual transformou-se em um dos maiores adversários da polícia na época. O elenco também conta com a presença da belíssima Marion Cotillard, que ficou famosa na pele de Edith Piaf, no filme “Piaf – Um Hino ao Amor”. Pra quem gosta do gênero 'mocinho e bandido', o filme é perfeito, pois além do enredo envolvente, o filme tem uma fotografia belíssima, incluindo o Johnny Depp claro!
**Inimigos Públicos entrou cartaz na última sexta-feira nas prinicipais salas de cinema do Brasil.

terça-feira, 28 de julho de 2009

QUEM prepara teu pára-quedas ?


Charles Plumb era piloto de um bombardeiro na guerra do Vietnã.Depois de muitas missões de combate, seu avião foi derrubado por um míssil.Plumb saltou de pára-quedas, foi capturado e passou seis anos numa prisão norte-vietnamita. Ao retornar aos Estados Unidos, passou a dar palestras relatando sua odisséia e o que aprendera na prisão.Certo dia, num restaurante, foi saudado por um homem:
- “Olá, você é Charles Plumb, era piloto no Vietnã e foi derrubado, não é mesmo?”- “Sim, como sabe?”, perguntou Plumb.- “Era eu quem dobrava o seu pára-quedas. Parece que funcionou bem, não é verdade?”Plumb quase se afogou de surpresa e com muita gratidão respondeu:“Claro que funcionou, caso contrário eu não estaria aqui hoje.”
Ao ficar sozinho naquela noite, Plumb não conseguia dormir, pensando e perguntando-se:
“Quantas vezes vi esse homem no porta-aviões e nunca lhe disse Bom Dia? Eu era um piloto arrogante e ele um simples marinheiro.”
Pensou também nas horas que o marinheiro passou humildemente no barco enrolando os fios de seda de vários pára-quedas, tendo em suas mãos a vida de alguém que não conhecia.
Agora, Plumb inicia suas palestras perguntando à sua platéia:
“Quem dobrou teu pára-quedas hoje?”.

Todos temos alguém cujo trabalho é importante para que possamos seguir adiante. Precisamos de muitos pára-quedas durante o dia: um físico, um emocional, um mental e até um espiritual.
Às vezes estamos tão ocupados que perdemos de vista o que é verdadeiramente importante e as pessoas que nos salvam no momento oportuno sem que lhes tenhamos pedido. Deixamos de saudar, de agradecer, de felicitar alguém, ou ainda simplesmente de dizer algo amável.
Hoje mesmo, tente perceber quem prepara teu pára-quedas e agradece-lhe. Mesmo que não tenhas nada de importante a dizer, envia esta mensagem a quem fez isto alguma vez.As pessoas ao teu redor notarão esse gesto, e te retribuirão preparando teu pára-quedas com esse mesmo afeto.Todos precisamos uns dos outros, por isso, mostra-lhes tua gratidão. Às vezes as coisas mais importantes da vida dependem apenas de ações simples: um telefonema, um sorriso, um agradecimento, um gosto muito de você, um eu te Amo, um obrigado por todos os favores que recebi de ti e nunca agradeci.
**Obrigada a todos que me acompanham por aqui e tornam a minha vida muito mais feliz.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Quem nunca teve que lidar com uma pessoa dominadora ou um chefe autoritário que pensava que podia solicitar seus serviços 24 horas por dia? Ou ainda com aquele colega invejoso que cobiçava tudo o que você conseguia; e um vizinho fofoqueiro que prestava atenção em todos os seus passos?
Segundo o autor do livro, as "pessoas tóxicas" potencializam nossos defeitos e nos enchem de cargas negativas. Elas sabem tudo o que acontece na vida alheia, mas se esquecem de ver o que está dentro delas. No livro, Bernardo Stamateas descreve todos os tipos de "personalidades tóxicas" (o joga culpa, o invejoso, o desqualificador, o falso, o agressor verbal, o medíocre, o psicopata, o fofoqueiro, o neurótico, o orgulhoso, o manipulador, o queixoso, o chefe autoritário) com que convivemos e nos mostra como podemos nos distanciar, usando o poder das palavras para livrar-nos delas e assumirmos o controle de nossa vida. Quanto mais protegidos das pessoas tóxicas, mais felizes seremos
O livro parece mais um clichê, mas na verdade ele nos faz uma grande alerta, pois todos nós conhecemos ou já convivemos com algum tipo de pessoa como essas, que o autor exemplificou.

** Essa é a minha dica de leitura pra semana.


domingo, 26 de julho de 2009

NOVO DIÁRIO PARA BRIDGET JONES

Renée Zellweger fechou contrato e abriu a boca: para incorporar novamente Bridget Jones nos cinemas, a atriz deverá engordar cerca de 10 quilos! Neste terceiro filme, Jones estará na casa dos 40 anos, tentanto ter um bebê “antes que seja tarde demais”! As filmagens, iniciam ainda este ano.

sábado, 25 de julho de 2009

2º GRAUS EM POA


Dizem que no inverno, Deus cobre a terra de neve para proteger e descansar o seu interior. E ela dá um toque especial, convidando a todos os poetas a uma viagem etérea. Com luzes nos mais variados tons produzidas pelo Sol, em nuances especiais, os dias ficam mais curtos e as noites mais longas. O inverno por ser a estação mais fria do ano, faz com que nesse período a natureza revista-se de um novo cenário, sendo ele das quatro estações, a mais cantada e falada em versos e prosas.
Quando a onda de frio chega, afugenta as pessoas das ruas e o gostoso é poder curtir a nossa casa, o nosso cobertor no sofá, a nossa cama quentinha (com ou sem companhia); programas noturnos como jantar numa casa de fondue, ir ao cinema, ao teatro tornam-se mais interessantes e aconchegantes, pois há algo de romântico e afrodisíaco solto no ar, o frio nos aproxima mais uns dos outros, faz a gente querer estar junto. O tempo está fresco, cinzento, úmido e pode até nevar.. seja bem vindo ao Inverno.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

EU SOU MAIS EU


Já imaginou espalhar bilhetes por todos os cantos da sua casa com frases como: 'Adoro meu rostinho', 'Eu sou única!', 'Eu sou mais eu!'??? Essa é a proposta da campanha 'Eu Sou Linda', lançada pela jornalista Mauren Motta. A ideia é que os recados ajudem a lembrar que todas as pessoas são bonitas, independentemente de estereótipos e padrões preestabelecidos: 'É uma forma de exaltar nossos pontos positivos de maneira divertida e despretensiosa. Na medida em que colocamos no papel aquilo que pensamos a nosso respeito, conseguimos visualizar melhor a percepção que temos de nós mesmos. Funciona como um espelho, as palavras ali retornam para gente e não temos como fugir delas . Isso faz bem, pode não resolver aqueles conflitos mais profundos que exigem uma atenção profissional, mas garante uma boa repercussão para o ego. Afinal, quem melhor do que nós mesmos para gostar da gente?', explica a psicóloga Anne Rech.A inspiração para tal surgiu de um blogue americano, mas foi Mauren quem aperfeiçoou a ideia e criou a campanha. Consumismo, distúrbios alimentares e a popularização das cirurgias plásticas são problemas do mundo moderno que estão relacionados à baixa autoestima: 'Os padrões de beleza são muito difíceis de se atingir e as pessoas buscam suprir necessidades internas por meio de ações externas, como comprar objetos no intuito de resolver seus conflitos', esclarece a jornalista Regina Guedes, que participa do projeto.
Aprender a gostar de si mesmo é um processo que começa com uma mudança interna. É como um mantra, um pensamento positivo. A pessoa que adora sua personalidade e o seu jeito único de ser acaba tendo uma melhor aceitação da própria aparência. Lidar bem com as frustrações diárias é o maior ganho que alguém com alta autoestima pode ter: 'Sentir-se bem o tempo todo é uma invenção humana, pois não há felicidade que dure eternamente. Contudo, estar satisfeita com sua imagem e perceber-se como uma pessoa capaz e interessante faz com que a gente consiga administrar os períodos de tristeza com mais leveza e serenidade', argumenta a psicóloga Anne.


Para abraçar essa ideia e ajudar a levantar a bandeira em prol da alta autoestima, basta bater uma foto sua com uma frase no melhor estilo 'eu me amo' e enviar para o e-mail eusoulinda@maurenmotta.com.br. As fotos serão divulgadas no site, para que uma pessoa inspire a outra e a campanha ganhe força e visibilidade. Participem e comecem a espalhar bilhetinhos carinhosos pela casa!!

BOM FIM DE SEMANA

A vida não vale nada se você não tem uma boa história para contar.
(Claufe Rodrigues)

quinta-feira, 23 de julho de 2009

BRINCADEIRA SÉRIA /SILMARA FRANCO

FAZ de conta: Você acordou, ligou para o salão e marcou um horário. Na hora do almoço, foi lá e pediu: Corta bem curto. O cabeleireiro não acreditou no que ouvia. Afinal, seus quase cinquenta centímetros de cabelo sempre foram, na sua cabeça (literalmente), uma espécie de atestado da sua feminilidade. Mas agora eles teriam de ser curtos. Para que suas ideias ficassem longas. Ele colocou a mão um pouco abaixo do seu ombro: Mais ou menos aqui? Você segurou a mão dele, levou-a na altura da sua orelha, e disse: Tosa.
Depois você passou naquela loja onde tem uns vestidos moderninhos e coloridos. Você entrou e pediu aquele cor de laranja com borboletas, muito mais curto do que os que você costuma usar. Aproveitou e pediu a sapatilha da vitrine. Arrancou o seu terninho bege, sua camisa branca e seu escarpim marrom. Deixou tudo por lá mesmo, no provador. E quando a vendedora perguntou o que fazer com aquilo, você disse: Queima.
Quando você retornou ao trabalho, uma hora depois do horário de costume, com aquele vestidinho e com os cabelos daquele jeito, a roda em torno de você foi se formando. Uns, animadíssimos. Outros, nem tanto. Alguns reprovaram. Como as coisas já não andavam muito bem por ali, sua chefe lhe chamou no final do dia para conversar, e avisou que as coisas não poderiam continuar daquele jeito, ou ela teria que substituir você. E você disse: Substitui.
Saindo de lá deu vontade de jantar naquele bistrô aonde você acha que só deveria ir no dia do seu aniversário ou outra data importante. Você mal encostou seu carro e já veio o dono da rua, dizendo que eram dez pratas para parar ali. E, como você não deu bola, o homem começou aquela conversinha surrada dizendo, na entrelinha da entrelinha, que um eventual não-pagamento antecipado incorreria em riscos indesejáveis na pintura do seu bólido. Você pegou o celular, digitou três números, mostrou o visor para o homem e, já com o dedo na tecla “ligar”, disse: Risca.
Faz de conta que você chegou em casa e sua filha de dezessete anos estava na sala com o namorado. Você teve que contar de novo a história daquele vestido e daquele cabelo e, como chovia, sua filha sondou se o rapaz poderia dormir ali. E, enquanto jogava no lixo aquela agendinha que você só usava no trabalho, você disse: Pode.
Quando se deitou para dormir, aquele anjo que costuma vir conversar com você antes do sono se empoleirou na cabeceira da sua cama. Elogiou o cabelo, o vestido, a decisão no trabalho, o presente de não-aniversário, o chega-pra-lá no dono da rua, a atitude com a filha. Só por curiosidade, perguntou que bicho havia mordido você. E você, se ajeitando no travesseiro e já desligando o abajur, disse: Nenhum.
No dia seguinte, vendo que eram dez da manhã e você ainda não havia se levantado, sua filha entrou no quarto, vocês conversaram e no final ela perguntou como é que vocês viveriam dali para frente. Com certa ironia, ela arriscou dizer que com as bolsas e os badulaques que você produzia e vendia nos finais de semana é que não seria. E você disse: Sim.
À tarde, você procurou o dono daquele galpão que você havia visto para alugar, perfeito para uma oficina, e fez uma oferta. O homem coçou a cabeça, pediu um pouquinho mais, e você disse: Fechado.
À noitinha, você foi até a casa dos seus avós, assim, de surpresa. E, de surpresa, você os beijou. E quando eles perguntaram o que era aquilo, você disse: Amor.
Faz de conta que foi assim. Faz de conta que foi desse jeito que você virou a mesa. Que resolveu não perder mais tempo, fazer o que gosta e ser do jeito que você, só você, acha que fica mais bonita.
Faz de conta que você morreu. E que alguém lhe deu a oportunidade de voltar para um terceiro tempo.
Então. Agora vai lá e faz tudo de verdade.
**
Por Silmara Franco - para conhecer um pouco mais dessa moça talentosa, acesse lá http://fiodameada.wordpress.com/

UM SIMPLES ABRAÇO / NANDO REIS

Sou uma colher
e o seu prato está virado,
você não vai comer ?
Sou lá fora o frio
seu casaco está guardado
você não vai passar em casa ?
E agora que eu amo você.
O mundo não precisa nunca mais girar
Porque agora que eu amo você
Se eu amoVocê.
Sou uma avenida
e o seu carro está parado
você não vai sair ?
Sou um temporal
e os seus lábios
estão fechados
mas se você sorrir
eles se abrem.
O que você precisa ?
se você precisar.
Uma margarida comum um beijo
ou um simples abraço
que é pra você lembrar de mim.
** NANDO REIS, cantará pra nós hoje a noite, no Teatro do Bourbon Country (Av.Tulio de Rose, 100) - a partir das 21 h. Ainda restam ingressos pra pista!! fone 3375-3700

quarta-feira, 22 de julho de 2009

"A arte vence a monotonia das coisas assim como a esperança, vence a monotonia dos dias."
(G. K. Chesterton)
"Existe um artista aprisionado em cada um de nós. Deixe-o solto para espalhar alegria por toda parte." (Bertrand Russell)
"A arte da vida consiste em fazer da vida uma obra de arte."
(Mahatma Gandhi)
"A funçao da arte não é a de passar por portas abertas, mas a de abrir portas fechadas."
(Ernerst Fischer)
"A arte é a mentira que nos permite conhecer a verdade. " (Pablo Picasso)
O artista não é um tipo diferente de pessoa, mas toda pessoa é um tipo diferente de artista." (Eric Gill)

A coisa mais bela que podemos experimentar é o mistério. Essa é a fonte de toda a arte e ciências verdadeiras." (Albert Einstein)

A vida bate e estraçalha a alma e a arte, nos lembra que você tem uma." (Stella Adler)

terça-feira, 21 de julho de 2009

Poetando com Guimarães Rosa

A vida é assim:
Esquenta
e esfria,
aperta
daí afrouxa,
sossega
e depois desinquieta.
O que ela quer
da gente é coragem.
(João Guimarães Rosa)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

PARA USAR, AMARRAR E AMAR!!




Os lenços, as echarpes e as mantas são acessórios que cabem em todas as estações, mas principalmente nesta época de frio, eles são ítens obrigatórios!!! Na Inglaterra, o grande hit é a echarpe palestina, que imita as padronagens usadas pelos árabes. As formas de uso são ilimitadas, e vão desde as enroladas ao pescoço até as com estilo caubói, dobrada em triângulo. As brasileiras também se tornaram adeptas e exibem a echarpe, como uma maneira de se manter aquecida e mostrar personalidade.
Os lenços são ideais para os dias de temperaturas amenas, principalmente os feitos de algodão e linho, que esquentam na medida certa. A gama de estampas vai desde a mais básica, lisa, até as com motivos vegetais, geométricas e estilizadas. Em sua maioria, têm tamanho médio para se ajustarem ao pescoço. Já as echarpes são compridas para serem amarradas com efeitos, em laços ou nó fantasia. Os lenços podem ser usados em várias partes do corpo como no pescoço, no ombro, colo, cabeça, cintura e até mesmo amarrados em bolsas. Também combinam com centenas de roupas como vestidos, camisetas, camisas, batas, camisetas básicas, casacos, jaquetas, sobretudo e ficam superbem com várias sobreposições.
Nos dias de muito frio, as mantas e os cachecóis com texturas e volumes, aquecem e turbinam o look. Os acessórios aparecem em tecidos bem pesados (lã ou algodão) e, um efeito moderno, é conquistado quando suas pontas exibem diferentes comprimentos ou ainda quando deixam de ser lisos e parecem sanfonas. As mantas de lã também pode ganhar amarrações interessantes, dependendo da largura e comprimento.

Algumas dicas são válidas na hora de escolher o modelo ideal de lenço ou echarpe para cada estrutura de corpo: lenços compridos e grandes ficam superbem em mulheres de seios pequenos ou médios, pois criam volume nessa região. Podem ser, ainda, estampados. Os mais curtos amarrados no pescoço caem bem em mulheres de seios grandes. As echarpes feitas em tecidos leves não criam muito volume e ficam charmosas quando amarradas de lado no pescoço. A amarração pode ser feita em forma de laço, em um estilo romântico e delicado. Lenços e echarpes podem ser usados em festas informais ou formais. Estes acessórios ficam muito elegantes sobrepostos com casacos pesados, coletes, camisas masculinizadas, vestidos, pulôveres e um número infinito de peças. Escolha o seu e se amarre !

FELIZ DIA, PARA TODOS AMIGOS MEUS !

Desejo a VocêS..
"Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Crônica de Rubem Braga
Filme bom na TV
Ter uma pessoa especial
e que ela goste de você!
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Noite de lua Cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Uma tarde amena
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu.."
(Carlos Drummond)

domingo, 19 de julho de 2009

DOMINGO MUSICAL


DOCE SOLIDÃO
Posso estar só
Mas, sou de todo mundo
Por eu ser só umAh, nem!
Ah, não! Ah, nem dá!
Solidão, foge que eu te encontro
Que eu já tenho asa
Isso lá é bom, doce solidão?

SAUDADE
Ai, ai
Vai ver é só você
Ai, ai
Vai ver é só você querer
Distante, imaginar
Caberia a quem dizer:
"Amor, eu vivo tão sozinho de saudade"


LIBERDADE
Perceber aquilo que se tem de bom no viver é um dom
Daqui não
Eu vivo a vida na ilusão
Entre o chão e os ares
Vou sonhando em outros ares, vou
Fingindo ser o que eu já sou
Fingindo ser o que já sou
Mesmo sem me libertar eu vou
É Deus, parece que vai ser nós dois até o final
Eu vou ver o jogo se realizar de um lugar seguro.
De que vale ser aqui
Onde a vida é de sonhar?
Liberdade


MAIS TARDE
Pode ser até do corpo se entregar mais tarde
Parece simples mas, a gente às vezes é
E o amor é lindo deixo
Tudo que quiser eu não me queixo em ser ai ai ai ai
Acho normal ver o mundo feito faz o mar num grão de areia
É de se entregar a sorte e todo mundo vai saber
Em ver que o vai e vem pode ser eterno
Pra ver quem manda
Acho que não vai dar tô cansado demais
Vou ver a vida a pé ai ai ai ai
Acho normal tá no mundo feito faz o mar num grão de areia.


TUDO PASSA
Eu você e todos os encontros casuais os ais e os hão de ser
e todos os casais também olha,
acho até que quem achou que nunca ia esse ia se espantar
de ver que o ódio e o amor
e até eu vou pra ver no que vai dar a massa a moça,
e até esse pra sempre tudo passa.

***

Marcelo Camelo se apresenta hoje a noite em Porto Alegre, no Teatro Bourbon
(Túlio de Rose, 100 –Bela Vista) a partir das 20h.

sábado, 18 de julho de 2009

QUANDO O PROGRAMA É FAZER NADA


Uma das missões que tenho nessas páginas é lançar luzes sobre particularidades do mundo masculino. Mas não falar de cabelo na orelha ou futebol. Gosto de descascar almas, fazer com elas o mesmo que se faz com as cebolas.
Um exemplo é a Tecla Dane-se. É assim: a mulher do casal, você, chega com um assunto de suma importância - uma conversa que rolou no trabalho. Você começa a contar, e ele fica olhando. Parece que está prestando atenção. Mas, não: é a Tecla Dane-se a plena potência! Ele nem pisca, mas o cérebro está no Xangri-Lá masculino - onde só existem charutos e marcas de automóvel. Você fala, ele eventualmente balança a cabeça, faz "hmmm-hmmm", mas a atenção está em outra dimensão. Faça o teste: no meio da conversa sobre o trabalho e a equipe, solte um "daí fiquei tão fora de mim que gastei dois mil reais em meias". Se ele nem piscar o olho, é a Tecla Dane-se acionada.
Agora resolvi lançar luzes em outra particularidade do relacionamento entre opostos. Quero discutir o ato de fazer "nada". Imagine um sábado em que o casal combina que naquela tarde fará simplesmente "nada". Normalmente, o homem se joga no sofá e fica vendo TV até o soninho chegar. Se não chegar, sem problema. Vamos manter o plano inicial e ficar ali mesmo, no sofá, quando muito só procurando algum documentário sobre o Egito. Sempre acham uma múmia nova, é um mercado que cresce muito o dos faraós. Sempre tem assunto. Ótimo. Grandes ambições para esta tarde. E a moça, claro, que planejasse o seu "nada". Pode ser ler um livro, fazer hidratação no cabelo, enfim: várias opções de "nada". Acontece que em cinco minutos ela arruma um quadro pro homem pregar, quer sair pra ir ver um tapete, fazer um bolo de cenoura, enfim: quer corromper o conceito de fazer "nada". Daí dá briga, mau humor, essas coisas. Ninguém quer brigar num sábado desses.
E é difícil fazer "nada". Sujeito distrai, pronto: já está cortando a unha, batendo um ovo, atendendo ao celular - o que, embora pouco, é alguma coisa. No que caímos em semântica: o que é fazer "nada"? É diferente daquele papo furado do italiano gordinho, aquele de O ócio criativo*. Ali, o "nada" é ficar pensando na banheira e, pimba!, olha que ideia boa que apareceu. Que nem Arquimedes**. Aqui, não. Aqui o fazer "nada" busca xongas nenhuma. Se descobrirem alguma fórmula ou remédio ao se fazer "nada", então o cara errou. Fazer "nada" é mais que preguiça - é causa, orgulho. Quando muito, admite-se ir buscar um copo de coca na cozinha. Ir atender ao telefone é, definitivamente, algo. Há gasto de energia. Logo, é quase uma esteira ergométrica. Ninguém quer ficar na esteira ergométrica num sábado, ainda mais com tanta coisa acontecendo no Egito. Agora, e olha que legal: fazer "nada" fica melhor com companhia. Então, em vez de ver quem ligou, de pregar um quadro ou arrumar a estante de CDs, que tal ficar assim, enroscada no parceiro, de meia mesmo, gostosinho, vendo TV? Só um último cuidado: quando um casal fica assim, muitas vezes o "nada" acaba virando "algo" - uma encenação de Marco Antônio e Cleópatra em pleno sofá. Esse algo, sim, a gente aceita...!
** A sugestão acima, ficou por conta de Lusa Silvestre, publicitário e autor do livro Pólvora, gorgonzola & alecrim. Foi roteirista do filme Estômago, premiado em vários festivais.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A TODOS UNE BELLE FIN DE SEMAINE


"LENDO MAIS", COM MARTHA MEDEIROS

O filme é inglês e o personagem do cara, quando garoto, passa muito tempo com um livro na mão. Também se passa na Europa, apesar de ser uma produção americana, o filme 'Tinha que ser você', em que Emma Thompson aparece lendo no metrô, lendo no restaurante, lendo em sala de aula. Ouvi falar bem também do filme franco-alemão 'Há tanto tempo que te amo', com Kristin Scott Thomas, onde, dizem, os livros também fazem participação especial. Essa é uma, entre muitas, das razões pelas quais eu gosto de filmes europeus. Eles refletem um estilo de vida que eu gostaria de ver aqui no Brasil. Gente lendo em parques, lendo no transporte público, lendo nas salas de espera, lendo, lendo, lendo!! Em 'Meu nome não é Johnny' tem um doente mental, colega de prisão do personagem de Selton Mello, que adora ler. Um maluquete. Será que no Brasil, só sendo meio pirado pra gostar de ler? (Martha Medeiros)

quarta-feira, 15 de julho de 2009

REFORMA

Todo mundo sabe que fazer uma reforma e ficar dentro da mesma casa não é uma tarefa fácil, além do barulho e da poeira, você terá pessoas estranhas entrando e saindo o dia todo em sua casa. Dependendo do tamanho da reforma é necessário até sair de casa. Você pode passar uma temporada na casa da sua mãe, ou na casa da sua sogra, ou ir para casa daquele velho amigo recém separado. Se você tiver uma casa na praia ou no campo, se mude pra lá por alguns tempos ou se puder, loque um imóvel pelo tempo que precisar. Até aí tudo ok.

***
E quando é nós que precisamos de ganhar uma reforma?

Há quem passe a vida toda estanque como uma caçamba esquecida na calçada – e ainda se orgulhe disso: “Sempre fui assim e não vou mudar”. Tenho vontade de dizer: Meus pêsames!

Como então, executar uma mudança interna real?

Psicanálise, livros, tapas na cara, reflexão, autoanálise, doenças, amigos, filmes, tatuagens, remédios a menos, música, mortes, viagens, amores ruins, alergias, religião, amores bons, espelhos, lágrimas súbitas, pés na grama, corte de certas pessoas, pessoas novas, mais psicanálise e de repente você acorda um dia e.. consegui !

Parabéns! Você conseguiu!

Mas lembre-se: nos dois casos, mudar de ambiente é tão necessário quanto a própria reforma. É preciso querer sair da zona de conforto, mas acima de tudo, ter a consciência de que renovar-se é preciso.

CANGOTE / CÉU


"Fiz minha casa no teu cangote
Não há neste mundo quem me bote
Pra sair daqui
Te pego sorrindo num pensamento
Faz graça de onde fiz meu achego, meu alento
E nem ligo
Como pode, no silêncio, tudo se explicar?!
Vagarosa, me espreguiço
E o que sinto, feito bocejo, vai pegar"
******
"Cangote", é o último EP de inéditas da paulistana Céu, recém lançado nos EUA pela Six Degrees e já pipoca em blogs especializados na internet. São apenas quatro músicas, mas o repertório inspirado serve como um aperitivo saboroso para os fãs. Cinco anos depois de seu disco de estreia, a dona de uma das mais belas vozes da atualidade, esbanja maturidade em três composições próprias e uma versão pra lá de malemolente para "Visgo de jaca", famosa na interpretação de Martinho da Vila. A produção ficou a cargo da própria Céu com ajuda dos camaradas Beto Villares, Gustavo Lenza e Gui Amabis. Se "Sonâmbulo" traz o acento jamaicano característico de seus gostos musicais, "Bubuia" é o encontro perfeito de poesia com os vocais etéreos de Céu, Anelis Assumpção e Thalma de Freitas.

terça-feira, 14 de julho de 2009

O INFERNO É O EXCESSO DO BEM / Fabrício Carpinejar

Folheava com admirável assombro um livro de gravuras sobre o inferno. Mundaréu agonizando castigos indescritíveis. Vítimas de chicotes, fogueiras e arreios. Mulas de pedra e dor. Um mar de cotovelos e joelhos estalando no precipício. Os pais me emprestaram as pinturas para ficar com medo de pecar e só aumentaram a minha curiosidade. Não levei a sério. Se fosse verdade, o masoquista faria reserva do caldeirão. Discordo que o inferno seja a privação do que gostamos. A renúncia do que não valorizamos. O inferno é o que a gente ama, mas em excesso. Lembro da torta de nozes. Era apaixonado, comia uma fatia por noite durante anos. Botava guardanapo na gola para naufragar a barba no creme. Hoje não suporto o cheiro. Tortura seria me colocar dentro de uma vitrine repleta do doce. O mesmo ocorreu com a panelinha de coco, o alfajor, o chocolate em barra.
Alegria em demasia é tristeza. Quem repete três vezes seu prato predileto tem rosto de velório. O paraíso é o bocado, o gole gostoso, o pouco intenso. Deixar o que se deseja para depois e nunca deixar o desejo. As mulheres reivindicam homens românticos. Pedem escandalosamente um perfil gentil, amável, cordial, obediente, misto de agenda (capaz de lembrar todos os aniversários e datas comemorativas) e diário (que escreva poemas e preencha cartões floreados). Na hora em que encontram o sujeito sonhado, querem distância. Consideram a figura grudenta, gosmenta, tediosa. Resmungam que é muito submisso (se você vem sendo chamado de fofo pela namorada está a um passo do despejo)
Os homens procuram mulheres com irrefreável apetite sexual. Para ter sexo a cada turno. Sem enxaqueca, trabalho e preocupações familiares. Caso pudessem, adotariam arquitetura de motel no quarto com retrovisores na cama. Pois quando se deparam com uma ninfomaníaca viram monges. Usam pijamas listrados. Decidem discutir a preliminar. Forram a cabeceira com dicionários. Revelam traumas de infância. Torna-se insuportável trepar a cada quinze minutos e não terminar um pensamento inteiro. Não é mais questão de virilidade, é de sanidade. A transa depende da lembrança para renovar a imaginação. Qualquer cinéfilo que assista a 12 horas de filmes fugirá da tela em branco. Qualquer médico que fique 36 horas de plantão desistirá de suas mãos. O exagero do bem enjoa. O exagero do prazer é o inferno.

***Fabrício Carpinejar, é poeta, cronista, professor, jornalista e amigo meu. Para conhecê-lo melhor, acesse http://www.fabriciocarpinejar.blogger.com.br/

SEMANA DA FRANÇA EM PORTO ALEGRE


ARTE FRANCESA:

A exposição 'Arte na França 1860-1960: O Realismo', foi aberta ontem à noite no MARGS (Museu de Arte do Rio Grande do Sul). A mostra é composta composta por 120 obras, cedidas por acervos de museus como o Museu de Arte de São Paulo (Masp); Berardo, de Lisboa; Lagar Segall e Nacional de Belas Artes (MNBA), entre outros. O idealizador da mostra, Romaric Büel, lembrou que após dois anos o Margs consegue inaugurar, (na véspera do Dia Nacional da França), Queda da Bastilha, 'uma mostra que não fica devendo a nenhuma exposição europeia'. O curador Eric Corne destacou que a mostra propõe entender a partir de Gustave Courbet, o percurso de um século de arte produzida na França. 'Esta exposição quer mostrar a forte ligação entre a arte francesa e brasileira, a partir de Courbet e Almeida Jr., por exemplo.' A mostra apresenta obras de Courbet, Van Gogh, Monet, Degas, Renoir, Cèzanne, Manet, Miró, Dalí, Balthus, Millet e Dérain, além de obras de brasileiros, produzidas na França: como de Di Cavalcanti, Portinari, Lasar Segall, Almeida Júnior, Iberê Camargo e Guignard. A visitação pode ser feita de hoje até 30 de agosto, de terça a domingo, das 10h às 18h. O ingresso é solidário: uma peça de roupas ou 1 kg de alimento destinados ao Comitê de Ação Solidária.

CINEMA FRANCÊS:

A Cinemateca Paulo Amorim - Espaço Banrisul de Cinema - se integra às comemorações pelo Ano da França no Brasil e exibe um ciclo de filmes franceses a partir de hoje. A Semana do Cinema Francês começa nesta tarde na sala Eduardo Hirtz da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736). A mostra reúne títulos distribuídos no Brasil pela Pandora Filmes. Todos tiveram uma boa carreira em seu país, inclusive no circuito de premiações.
Os títulos a serem exibidos hoje são 'Questão de Imagem', de Agnès Jaoui, às 15h, sobre uma adolescente acima do peso; e 'Instituto de Beleza Vênus', de Tonie Marshall, às 19h, que aborda com humor uma relação amorosa.

Ciclo NOUVELLE VAGUE na Sala Redenção do Campus Central da Ufrgs, tem apresentaçãode 2 Filmes de Eric Rohmer: 'A Carreira de Suzanne', de 1963 (16h). 'Conto de Outuno', de 1998 (19h). A entrada é franca.

No ciclo comercial, tem também o longa francês HÁ QUANTO TEMPO QUE TE AMO que estreou esta semana, direção de Philippe Claudel, tem no elenco a belíssima atriz Kristin Scott Thomas (filme Paciente Inglês). O filme conta o retorno de uma mulher à sua família e à sociedade, após 15 anos de ausência e rejeição, e que aos poucos vão se revelando seus segredos.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

PARAFRASEANDO BACOUCA

"Não me perguntaram se eu queria nascer,
Não me disseram quando vou morrer,
Portanto, aproveito ao máximo o intervalo!!! "

Ana Maria Cameira, escreve para o Blog http://bacouca.blogspot.com/

uma portuguesa mui gira!!

DIA MUNDIAL DO ROCK!!




Hoje é o Dia Mundial do Rock!! E o pessoal da moda está celebrando a data desde o início da temporada. Isso porque as coleções de inverno, foram desenvolvidas com intensas referências roqueiras, sobretudo nas marcas de jeanswear. Tudo culpa de dois elementos recorrentes: a jaqueta perfecto e o colete de alfaiataria. As peças essenciais do guarda-roupa dos roqueiros entraram no repertório dos modernos e motivaram o movimento de mais referências do mesmo estilo. As botas de motoqueiro, as gravatas estreitas, os acessórios de tachas e, sobretudo, as calças skinny têm circulado também fora dos palcos.
Os bonitos nas fotos acima, são os músicos Rodrigo Pilla, guitarrista da Bidê ou Balde, e Ricardo Sabadini, vocalista da Severo em Marcha. A beleza da dupla foi assinada por Paulinho Azevedo, cabeleireiro responsável pelo look da turma rock’n’roll aqui de Porto Alegre.

FELIZ DIA ROCK IN ROLL


Love me tender,
love me sweet,
never let me go.
You have made my life complete,
and I love you so.
Love me tender,
love me true,
all my dreams fulfilled.
For my darlin'
I love you,
and I always will.
Love me tender,
love me long,
take me to your heart.
For it's there that I belong,
and we'll never part.
Love me tender,
love me true,
all my dreams fulfilled.
For my darlin' I love you,
and I always will.
..................
When the clock
strikes twelve we'll cool off then,
Start rockin' 'round the clock again
We're gonna rock around the clock tonight,
We're gonna rock, rock, rock, 'till broad daylight,
We're gonna rock around the clock tonight!

domingo, 12 de julho de 2009


Esta semana, a Marilia do Blog http://tudooquevcdeveriasabersobreocasamento.blogspot.com/ escreveu sobre "administrar o tempo", e eu lembrei desta frase que gosto muito:

"Quem tem tempo não é quem não faz nada: é quem consegue administrar o tempo que tem de modo a poder fazer aquilo que quer".

Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de obter mais. Por isso dizemos que tempo é vida. Quem sabe administrar o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo. Prolongar a duração de nossa vida não é algo sobre o qual tenhamos muito controle. Aumentar a nossa vida ganhando tempo dentro da duração que ela tem é algo, porém, que está ao alcance de todos.
Mas tudo começa com uma verdade tão simples que parece uma platitude: se você não sabe aonde quer chegar, provavelmente nunca vai chegar lá - por mais tempo que tenha.
Administrar o tempo, é saber planejar estrategicamente a nossa vida. Para isso, precisamos saber aonde queremos chegar e definir os objetivos. Onde quero estar, o que quero ser, daqui a 5, 10, 25, 50 anos? Depois é começar a estrategiar; transformar objetivos em metas e decidir como as metas serão alcançadas.
Administrar o tempo não é uma questão de ficar contando os minutos dedicados a cada atividade, como se fôsse escravo do relógio, é uma questão de saber definir prioridades, é ganhar autonomia sobre a nossa vida. É uma batalha constante, que tem que ser ganha todo dia. Basta um pouco de esforço e determinação. Uma ótima semana a todos !

DOMINGO ZEN





sexta-feira, 10 de julho de 2009

Un bel fine settimana a tutti


ESPECIAL ROBERTO CARLOS


Podemos sonhar dormindo, desejos e ansiedades que moram dentro de nós e que se mostram enquanto relaxamos e permitimos que tudo venha à tona, misturando fantasia e realidade. Mas sonhos também podem ser sonhados quando estamos bem acordados e, quando é assim, eles são na verdade nossos desejos mais secretos que queremos que virem realidade. Muitos sonhos acontecem para nos encher de esperança.

"Mas você falou pra mim e eu senti/Que você fala de verdade/E fiquei de novo ingênuo e sonhador/Cheio de felicidade."

Alguns têm a sorte de viver verdadeiros sonhos em seu dia-a-dia.
"E tudo é tão bom/Pra quem é sonhador/Saber que encontrou seu grande amor."

"Eu tenho estrelas, eu tenho sonhos/Eu tenho tudo quando estou te amando/E esse desejo é corpo e alma/Por isso não se acalma numa noite só/E em cada despertar/Eu quero te encontrar/E amanhecer/No nosso amor."

"Fazia noite fria eu logo fui dormir/Soprava um vento frote eu não pude mais sair/Pensei com meus botões um bom livro eu vou ler/E um trago de uísque que é para me aquecer.

Há aqueles que sonham em viver no mundo da televisão e conseguem se imaginar com as celebridades, pelo menos enquanto estão dormindo.
"Diferentes emoções todos os dias/Ilusões, fantasias/E até depois do meu adormecer/São estrelas dos programas/Que em meus sonhos posso ter."

Tem gente que sonha em outros idiomas e passa uma noite inteirinha falando línguas que nunca imaginou saber falar.
"You may sayI`m a dreamer/But I`m not the only one/I hope someday/You`ll join us/And the world will be as one.

Eu quero ser seu travesseiro e ter a noite inteira/Pra te beijar durante o tempo que você dormir/Eu quero ser o sol que entra no seu quarto adentro/Te acordar devagarinho, te fazer sorrir

Hoje a noite, a Globo apresenta um especial sobre Roberto Carlos e seus 50 anos de carreira, no Globo Reporter, a partir das 22h.

Amanhã,11 de julho de 2009 às 21h30, Roberto Carlos se apresenta no MARACANÃ
(*O show será transmitido AO VIVO, a partir das 22h pela primeria vez em 5.1 HD)

Em Porto Alegre, Roberto Carlos se apresentará nos dias 14 e 15 de agosto, as 21h
No GINÁSIO DO GIGANTINHO
INGRESSO RÁPIDO: Site: http://www.ingressorapido.com.br/
Call Center: 4003 1212 / Ponto de vendas:Shopping Praia de Belas

Michael Jackson não era tão estranho assim / Stella Florence

Eu vi aquele menino sentado num banco de pedra, me esperando, sob a chuva fina, vestindo jeans e camiseta, e não o uniforme da escola. Foi então que eu tive certeza: estava apaixonada no grau do irremediável e pela primeira vez na vida.

Literatura ficcional no Brasil não é a coisa mais rentável do mundo, mas escritores se viram. Uma das coisas que fazemos é reescrever o livro dos outros com dedos de fantasma, cujo corpo não se vê, mas a presença arrepia. Foi assim que dois dias depois da morte de Michael Jackson eu estava escrevendo um livro sobre ele. A mim parece bastante claro que o astro perdeu a conexão com a realidade lentamente – com a realidade dele, o que é mais grave. Michael criou uma liturgia própria para a história de sua vida e nada, nem mesmo seu rosto no espelho, poderia demovê-lo de suas crenças. Me lembro de quando eu era adolescente: eu dizia que meu pai estava vivo quando ele não estava mais, eu inventava um namorado que não existia, contava que havia apanhado de seguranças, quando o band-aid na minha testa escondia apenas uma espinha. Aquelas mentiras me pareciam tão necessárias na época que eu não me envergonhava de repeti-las à exaustão: eu acreditava nelas. Michael não era tão estranho assim, afinal.
Claro, temos a pedofilia. Dr. Stan Katz, o médico especialista em saúde mental encarregado de fazer um parecer sobre o astro no caso de abuso sexual contra Gavin Arvizo, concluiu o seguinte: “Michael Jackson é um rapaz com mente de uma criança de 10 anos de idade. E ele age como faria um garoto de 10 anos com seus amigos. (...) Se você percebe que isso acontece com crianças nessa idade, não pode qualificá-lo como um pedófilo. Ele realmente vive como se tivesse 10 anos". Sim, garotos fazem troca-troca, batem uma juntos, vai saber o que rolou, mas eu apostaria que não houve curras violentas. Me lembro de quando eu tinha 19 anos...
Eu vi aquele menino sentado num banco de pedra, me esperando, sob a chuva fina, vestindo jeans e camiseta, e não o uniforme da escola. Foi então que eu tive certeza: estava apaixonada no grau do irremediável e pela primeira vez na vida. Naquela tarde, ele sentou no meu colo e me beijou a boca. Eu não imaginava que pudesse experimentar tantas sensações ao mesmo tempo: medo, desejo, prazer, culpa, amor e, sobretudo, um intenso flutuar de alma. Namoramos escondido algumas semanas e, nesse período, nunca fomos além de beijos e alguns chupões no pescoço. Embora por fora fôssemos muito diferentes, por dentro minha sexualidade tinha a mesma idade dele: 13 anos. Michael não era tão estranho assim.
Outro ponto conhecido (e fatal): o astro se viciou em todo tipo de porcaria para suportar sabe-se lá quais dores. E eu, para concluir seu livro a tempo (o prazo era insano: uma semana), tomei umas bolas para ficar acordada (com receita médica, como ele). Quando entreguei o arquivo pronto e finalmente pude dormir uma noite inteira, quem disse que eu conseguia? Meu corpo se desfazendo de cansaço e o sono...nada. Entrou em cena um calmante, dois, no terceiro, apaguei. Agora os dias estão lerdos, lesos, loucos, enquanto deixo a química ir embora de mim. Eu posso deixar que ela vá embora. E se não pudesse? E se milhões de dólares e milhares de empregos dependessem de eu levantar hoje e fazer um show? E se eu precisasse dormir depois desse show para fazer outro no dia seguinte? O que eu faria? Tomaria algo para acordar e depois algo para dormir e depois algo para... Michael não era tão estranho assim. Apenas exagerou na dose em tudo, inclusive no talento.

terça-feira, 7 de julho de 2009

SUTILMENTE (Samuel Rosa/Nando Reis)

E quando eu estiver triste,
Simplesmente me abrace.
Quando eu estiver louco,
Subitamente se afaste.
Quando eu estiver fogo,
Suavemente se encaixe,
E quando eu estiver triste,
Simplesmente me abrace.
E quando eu estiver louco,
Subitamente se afaste.
E quando eu estiver bobo,
Sutilmente disfarce
Mas quando eu estiver morto
Suplico que não me mate,
não Dentro de ti,
Mesmo que o mundo acabe, enfim
Dentro de tudo que cabe em ti.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

FRASE DO DIA

Melhor que usar uma roupa P é levar uma vida Extra-G!
Aprendendo a ser Generosa, Gentil, e com atitudes Grandiosas !
"ACESSÓRIOS EM VOGA"
"
Os sapatos femininos são o ponto alto da moda do momento. A roupa que veste o corpo, com o máximo de qualidade, seja básico, clássico, usável e prático, é o denominador comum, a base. As extremidades é que estão em alta; o cuidado deve estar na cabeça (cabelos), mãos (bolsas), pés (sapatos), olhos, (óculos escuros). Nestes quatro pontos, o mais importante são os sapatos, estes devem ser bonitos, lindos e maravilhosos! Ao menos devem ter sempre a qualidade aliada a uma criatividade chegada perto " do quase demais". Nesse limite, está à prova de sua capacidade de definição para não destruir o equilíbrio do todo. Nestas novas diretrizes e valores, os estilistas de calçados ficaram em evidencia, suas criações se tornaram objetos de desejo, um sonho de possuir um dia. Num ambiente de muito bom gosto, você descobre o que realmente nem sabia que estava procurando. Aquela bota que é linda, trabalhada, mas longe do vulgar, do fácil efeito, as sapatilhas de ponta bem arredondadas de cores vibrantes, que brilham ainda mais aos pés de um traje todo negro. Sapato de salto baixo e bico levantado, saltos os mais inusitados, tudo isso bem usado e com muito equilíbrio, dão o tom!
"AS ESCOLHAS QUE CONSTROEM ELEGÂNCIA"
Oferecer às pessoas o conhecimento do seu estilo, para que tenham condições de montar um guarda-roupa moderno e consciente, saindo do rigor das tendências é o mote do curso de Estilo e Guarda-Roupa Pessoal Prêt-à-Porter, ministrado por Roberta Gerhardt e Neca Gonzaga. Dividido em três módulos, prevê participações especiais e aborda os tipos físicos, códigos de vestir, universo da moda, moda de luxo, cores, dress code profissional e beauty, entre outros itens. Os encontros são realizados uma vez por semana, na Capital, no Hotel Sheraton, às segundas-feiras - tarde ou noite - e em Gramado, no Restaurante Santao, sempre aos sábados, das 10h às 12h. Informações podem ser obtidas no site http://www.robertagerhardt.com.br/ .
'A diferença entre uma mulher bem vestida e bonita para a feia e mal vestida é a escolha', diz Roberta Gerhardt, advogada que se especializou em Estilo e Dresscode. Num primeiro momento, é dado o conceito de estilo, que é construído, dentre outros fatores, de acordo com o modo de vida, biotipo e cultura da pessoa. Dividido em oito padrões, cada indivíduo possui um predominante, podendo reunir até três. Intimamente ligada, "a elegância tem a ver com autenticidade e pode ser lapidada, a partir do conhecimento". Na opinião da consultora, 'não ter um bom espelho em casa, não conhecer o seu tipo e não ter ideia do que valorizar e o que esconder', são os principais pecados que alguém pode cometer.
As possibilidades de cores e a cartela pessoal são de suma importância, na medida em que todos nós temos tons que levantam a aparência e outros que nos abatem. A imagem passada por meio das roupas, com sua linguagem, elementos-chave, looks sugeridos e antropologia integram os códigos do vestir. Formato do rosto, regras para uso do chapéu, tipos de óculos, corte e tons de cabelo são tópicos do segmento Beauty, que terá a contribuição do stylist Marlus Lisboa, dando dicas de enfeites de cabelo.
Em referenciais de elegância, Jacqueline Kennedy, Coco Chanel (foto) e Audrey Hepburn, são ícones citados por Neca Gonzaga, que atua no mercado de moda há 30 anos. Jackie, a jornalista que se casou com o presidente norte-americano e, após viúva, se uniu ao magnata grego, transitou por várias décadas, sempre como símbolo chique. Com um histórico de vida duro, a estilista Channel implementou as pérolas e o visual limpo, tendo como característica a 'elegância eterna'. Já a estrela de 'Bonequinha de Luxo' aprendeu com técnicas de interpretação que a vestimenta, era essencial na construção do personagem.

8 ações simples que você pode fazer pelo Meio Ambiente

1 - Compense a emissão de CO2 de suas viagens aéreas. Em breve a aviação poderá responder por 15% da emissão de gases estufa. Por que não diminuir seu custo ambiental? Há companhias especializadas em calcular a proporção de um único assento na emissão de gases de um vôo e neutralizá-la com a compra de créditos de carbono, que são investidos em medidas compensatórias, como plantar árvores. A tonelada e meia de CO2 emitida por um passageiro num vôo entre Londres e Nova York gera um crédito de 15 dólares. (vai dar um pouco mais de trabalho na hora de planejar sua viagem, mas vale a pena!
2 - Informe as autoridades! Se você vir qualquer indício de poluição, desde lixo jogado no parque até espuma na superfície dos rios, informe as autoridades locais e o Ibama. Talvez alguém já tenha notificado o problema, mas é melhor pecar por excesso do que por omissão.
3 - Deixe o gramado crescer. A grama alta retém mais umidade. Durante o verão, deixe o gramado crescer pelo menos quatro centímetros. Essa providência evitará a aparição de trechos ressecados e diminuirá a necessidade de ser regado.
4 - Compre madeira reflorestada. Os móveis precisam ser de madeira de lei, proveniente de árvores que demoram a crescer, ou podem ser fabricados com espécies que crescem mais depressa, como o pinho e o eucalipto, portanto, podem ser reflorestadas?
5 - Faça multiuso da água. Aproveite a água usada na limpeza matinal do filtro para regar as plantas dos vasos de casa.
6 - Não espezinhe a natureza. Prefira tapetes de fibras naturais como o sisal, o coco e a juta, aos de fibras sintéticas.
7 - Viva o bicarbonato de sódio. Esqueça os produtos de limpeza modernos: além de caros, eles evitam o contato com alguns germes que mantêm nosso sistema de defesa funcionando. Use bicarbonato de sódio, que é muito barato. Ele é bom para limpar tudo e tem ação fungicida.
8 - Acorde com o aroma do café! Fuja dos desodorizadores de ambiente! Faça sachês com ingredientes naturais, como pão fresco e grãos de café.

*Todas essas dicas estão no livro “1001 Maneiras de Salvar o Planeta”, da Publifolha http://www1.folha.uol.com.br/folha/publifolha/ult10037u332314.shtml

domingo, 5 de julho de 2009

DESAPEGO

O excesso do querer vem desequilibrando muita gente que não entende que a verdadeira felicidade não está em decorrência da maior ou menor quantidade de bens materiais que acumulamos. O homem não deve possuir de seu, senão o que puder levar deste mundo. O que encontra ao chegar e o que deixa ao partir, goza de sua permanência na terra, mas, uma vez que é forçado a abandoná-lo dele não tem senão o gozo e não a posse real. Portanto, a felicidade não consiste em possuir ou não possuir bem externos, mas sim na atitude interna de não ser por eles, possuído . "Felicidade é a única coisa que podemos dar, sem possuir." (Voltaire)

sábado, 4 de julho de 2009

Bailarinos gaúchos se apresentam em Belo Horizonte

Moniquinha e Andrea, essa dica é pra vocês:

Os bailarinos Luciano Tavares, Eduardo Severino, Andrea Spolaor e Luciana Paludo dançam em Belo Horizonte (Minas Gerais), no Programa Observatório, neste sábado e domingo. Serão apresentados as coreografias 'Composições para Guitarra e Escápulas', de Paludo, resultado de uma pesquisa de mestrado; 'O Olho em Pausa', um fragmento em processo solo de Andrea Spolaor; 'In/Compatível', de Severino, com um enfoque sobre a sensações sugeridas pelo cotidiano das relações humanas. Dele também será mostrado 'Planetário', que teve inspiração na obra de Frans Krajcberg. Participa ainda 'Os Humores do Poeta', num passeio pelos humores das pessoas.

CENAS DE UM CASAMENTO

Depois de cinco anos solteira, tempo em que teve que lidar com a dura realidade o fim de um casamento de dez anos, Alice encontrou uma nova alma gêmea para dividir sua cama, seu cotidiano e seus sonhos para o futuro. No início, o caminho era de flores e pedras preciosas. Afinidades brotavam pelos poros. Gostavam das mesmas coisas, tinham senso de humor, adoravam animais, música e ficar em casa lendo, vendo filmes e cozinhando.
Mas os milhares de anos em que o sexo masculino dominou o feminino acabaram por mostrar as suas garras. E, como as mulheres são por natureza "adaptáveis e cuidadoras", quando se dão conta estão casadas com um cara chato, dependente, cheio de manias, e que acredita ser o dono do pedaço. A diferença é que, hoje em dia, tudo isso acontece de uma forma sutil -afinal, qualquer desinformado sabe que não fica bem ser dominador, demonstrar truculência ou rigidez excessiva nos nossos tempos.
Alice foi percebendo as mudanças em pequenas coisas. Para começar, desapareceram alguns rituais tão agradáveis, como o jantar à luz de velas. Era uma hora gostosa de intimidade entre os dois, mas que, com o tempo, foi perdendo o glamour. Ele passou a sentar-se enquanto ela servia a comida e levantava da mesa antes de ela terminar, com a desculpa de que, se continuasse ali, ia comer demais. A conversa entre os dois também foi perdendo conteúdo: ele não se interessava pelo dia-a-dia dela e achava normal ficar na internet enquanto ela lavava a louça. Além disso, Alice fez uma descoberta importante: agora, quando pensa-va nos cinco anos que tinha passado sozinha, percebia que gostava muito da própria companhia. Adorava ficar sozinha e estava sentindo falta desses momentos.
Pensou que, depois de três casamentos, não queria mais corrigir o mundo dos homens. Eles são o que são. Só mesmo o tempo pode fazer as coisas mudarem mais do que a sua geração já fez mudar. Chega de carregar essa cruz! Alice queria era se divertir, queria a edição dos melhores momentos, queria só os passes para gol! Então, propôs morarem separados e só se encontrarem quando estivessem realmente a fim da companhia um do outro.Ele relutou um pouco. Homem não gosta de ficar sozinho, mas tanto ela insistiu que ele topou fazer uma experiência. Foi a salvação! Agora, quando os dois não estão bem, vão para suas respectivas casas. Não ficam mais implicando com a história pessoal do outro. Quando querem, ficam juntos, dormem juntos, mas não se obrigam mais a se aturar mutuamente. Alice conseguiu finalmente ter um companheiro -e não um marido reclamando que as cuecas dele não estão na gaveta.
Deu tão certo que resolveram formalizar a relação e se casar. Só pediram para mudar o texto final da cerimônia: 'Prometemos ficar juntos, mas em casas separadas, até enquanto formos felizes assim!'

Patricya Travassos – atriz e apresentadora do programa 'Alternativa Saúde', do canal GNT, e autora do livro 'Esse Sexo É Feminino'.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Deseo a todos un maravilloso fin de semana




Goodbye, Michael Jackson

Fiquei triste com a precoce e súbita partida de Michael Jackson. Achei que ele viveria eternamente neste "unhealing world". Michael Jackson marcou minha adolescência e a de muita gente que conheço. Ele introduziu um novo estilo de música, dança e coreografia, ele foi sem dúvida um grande ícone de moda e estilo, e chegou a ser denominado de “Rei do Pop” por Elizabeth Taylor. Mesmo com toda trajetória de dor, sofrimento e solidão, ele conseguiu alegrar multidões.
A sociedade o execrou, o condenou (sem provas) e fez incontáveis piadas com Michael Jackson e suas dores. Pouco se falou, no entanto, que boa parte de sua fortuna foi doada a 39 instituições humanitárias. Esqueceram-se rápido de que foi ele quem compôs "We Are the World", liderando e participando ativamente, junto com outros artistas, de uma campanha contra a miséria no mundo. Também esqueceram de sua sensibilidade ao cantar "Heal the World", um apelo para um mundo melhor, com mais amor. Isso não vende jornal, pelo menos não tanto quanto as especulações voltadas para maledicências e fofocas. Não importa, Michael, agora você está realmente em um "better place", sem pais violentos, sem agressores, sem esses implacáveis iconoclastas em forma de abutres humanos.
Enfim a paz, Michael! Obrigada por embalar os melhores momentos de minha adolescencia. Você cumpriu a sua missão.

FRASE DO DIA

“A felicicidade se encontra em horinhas de descuido”. (Guimarães Rosa)

quinta-feira, 2 de julho de 2009

A SOBREVIVENTE

'Papai, caímos na água. Ouvia pessoas falando perto de mim, mas não podia ver nada. Estava tudo escuro ao meu redor'. Foi assim que Baya Bakari, a adolescente de 14 anos e única sobrevivente entre as 153 pessoas que estavam a bordo do Airbus A310 da Yemenia Airways, contou ao pai por telefone, sobre o acidente e como esperou nas águas pelo resgate. Baya Bakari passou 13 horas no mar sem colete salva-vidas agarrada a destroços do avião. Um jornalista da France Info, contou que Bakari dormiu durante a viagem toda e parecia desorientada (e como não estar desorientada diante de uma situação dessas??)
Apesar de os trabalhos de busca continuarem, ela é considerada a única sobrevivente das 153 pessoas que viajavam para bordo do Airbus A310 que tinha decolado de Sana em direção a Comores. Ela reencontrou-se com o pai hoje, na França.
***
Dizem que no dia em que nascemos, temos o nosso destino traçado, e o destino desta menina diz que não ía morrer naquele dia de acidente de aviação. Como dizia o cantor Tony de Matos, “O destino marca a hora”. No dicionário, destino que dizer : 1. personalização da fatalidade a que supostamente estão sujeitas todas as pessoas e todas as coisas do mundo; sorte, fado, fortuna 2. tudo que é determinado pela providência ou pelas leis naturais; seqüência de fatos supostamente fatais; fatalidade 3. acontecimento; fortuna, sorte, fado 4. o que há de vir, de acontecer; futuro 5. objetivo ou fim para o qual se reserva algo 6. resultado final 7. local aonde alguém vai; direção, destinação, meta.
***
Luiz Fernando Veríssimo escreveu: “Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando... Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive, já morreu.”
E você, acredita em destino? sorte? acaso?

2º EDIÇÃO DO PANO PRA MANGA


A segunda edição do Evento Pano Pra Manga já tem datamarcada, e acontece no dia 7 de julho ! Dessa vez, a idéia é falar sobre Arte com estratégia no mercado de moda. Entre os convidados, estarão Vulgo, Bag For Life e Pirecco.
Importante: quando foram entregues as doações da edição anterior na Spaan, foi constatado que, o que eles precisavam era de fraldas geriátricas e leite. Então dessa vez, pedimos que os inscritos levam 1 pacote de fralda geriátrica ou 2 litros de leite (caixinha). Para quem sai direto do trabalho e não tem como carregar os produtos, pode colaborar com 5 reais para comprarmos os donativos.
você encontra o flyer com todas as informações e a ficha de inscrição.
Clique aqui para assistir a matéria sobre o ultimo evento no Programa Estilo Moda da TVCOM.

Parafraseando Drumond

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos,na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.A dor é inevitável. O sofrimento é opcional."
(Carlos Drummond de Andrade)

Fecha e deixa solto/ Martha Medeiros

Muitos leitores mandam sugestões de tema para crônica, e nem sempre posso aproveitá-las, não porque não sejam boas, mas é preciso que eu comungue da mesma idéia, senão vira uma simples encomenda e o texto sai frio. Mas um dos internautas chamado Paulo, me contou um papo que teve com um amigo e eu não pude desprezar o depoimento dele, que, além de divertido.. considero o assunto de utilidade pública.

Ambos maduros, com alguns casamentos nas costas, queixavam-se das namoradas. Não agüentavam mais a ladainha: "onde foi, onde estava, por que não ligou, não me disse que foi, de quem é esse número, liguei e não atendeu, eu vi que você olhou pra ela, a que horas você chegou, você não me convidou, por que você não atendeu, o que vamos fazer no Carnaval, você quer que eu vá ou não, assim não vou".

Ri muito quando ele reproduziu esse pout-pourri de lamentações. É bem assim: "Os apaixonados costumam massacrar!"Eu só acrescentaria que esse massacre não é só feminino: tem muito homem que age da mesma forma.

Mas prosseguindo. O amigo de Paulo, durante a conversa, apontou uma saída: "Elas precisam aprender com os flanelinhas".

- Como?

"O flanelinha te indica um lugar pra estacionar e diz: fecha e deixa solto". Não é simples?

Eis a fórmula sugerida por eles para fazer as relações durarem mais do que três semanas: fecha (sim, um relacionamento fechado, fiel, bacana), mas deixa solto. Mantenha um espaço para respirar. Permita um mínimo de mobilidade: poder empurrar um pouquinho pra frente, um pouquinho pra trás. Possibilite uma manobra, um encaixe. Não puxe o freio de mão.

Seja para Paulos, Marias, Anetes ou Ricardos, a regra do flanelinha deve ser seguida e regulamentada: fecha e deixa solto. Confia. Ninguém quer invadir seu relacionamento, mas é preciso que haja flexibilidade, ajuste às novas situações, enfim, tem que relaxar um pouco.

Tem quê? Bom, talvez não tenha que relaxar, se esse tipo de queixa (onde foi, com quem estava, por que não ligou) for considerado um carinho, um cuidado, parte do jogo do amor, sem causar maiores irritações. Mas, antes de iniciar um interrogatório desse tipo, sonde o terreno, veja se está agradando. Geralmente, pessoas maduras já estão com a paciência esgotada para investigações minuciosas. Desconfio até que a irritação se dá por que "onde fomos, com quem fomos e por que não ligamos" não tem nada de excitante ou misterioso: fomos almoçar com a mãe e o celular ficou sem bateria. Se estivéssemos fazendo algo realmente condenável, aí sim, justificaria uma crucificação verbal. Ao menos as respostas exercitariam nossa criatividade e cinismo.

Mas como somos todos inocentes, feche e deixe solto.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

"Amor não é aritmética.."

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.
Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.
Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem noódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.
Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você amaeste cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.
É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.
Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim.
Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.
Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!
Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa".
(por Arnaldo Jabor)

O que é IN e OUT hoje em dia..

Com açucar e com afeto.. o que as mulheres e os homens esperam de um romance? Para tentar responder à questão, a editora canadense Harlequin Books ouviu 3 mil homens e mulheres ao redor do mundo, inclusive no Brasil. A pesquisa da editora, que publica histórias açucaradas para o público feminino, revelou o que está na moda e o que é cafona a dois. Há surpresas:

O que é IN

-Pedir sobremesa
-Mensagem de texto adocicado
-Telefonemas de boa noite
-Cartões de presente
-Mulheres mais velhas com homens mais novos


O que é OUT

-Puxar a cadeira da parceira
-Poesia ruim
-Presentes especiais
-Homens mais velhos com mulheres mais novas

Eu sou das antigas. Cafona mesmo e assumo!! E vocês?

PARAFRASEANDO CAETANO

"Sou filha da Chiquita Bacana,
nunca entro em cana porque sou família demais,
puxei a mamãe,
não caio em armadilha
e distribuo banana para os animas."
(CAETANO VELOSO)