quarta-feira, 10 de junho de 2009

FELICIDADE sob controle

Um estudo da Universidade de Wisconsin (EUA) constatou que o monge francês Matthieu Ricard, que vive no Himalaia há 40 anos, é uma das pessoas mais felizes do mundo. Ele apresenta alta atividade no córtex pré-frontal esquerdo, região ligada à sensação de felicidade, e quase nenhuma do lado oposto, relacionado à ansiedade. O segredo? Não se apegar a bens materiais e preocupar-se apenas com questões do espírito. Mas você não precisa imigrar para o Tibet e passar horas meditando. Cientistas calculam que 50% da felicidade é determinada pela genética, 10%, pelas circunstâncias da vida e 40%, por pensamentos e ações. Ou seja, você tem boa parte do controle. Veja como algumas atitudes podem contribuem para melhorar o seu astral:

Aguce sua curiosidade
Pessoas inquisitivas têm mais chances de extrair significado e prazer de pequenas coisas. É o que mostra um estudo publicado na revista americana Motivation and Emotion. Mas não vale passar a tarde procurando vídeos novos no You Tube. O ideal é experimentar atividades fora da sua área de conforto. 'Quanto mais diversifica o seu dia a dia e descobre atividades novas, mais exercita o cérebro e melhora o humor', diz Ana Maria Rossi, psicóloga e presidente da Isma-BR (braço brasileiro da International Stress Management Association). Prefira atividades que desenvolvam habilidades específicas, como aulas de idiomas. Isso porque, para aprender, você se desliga dos problemas cotidianos.
Acorde com água
A equação não é complicada: a desidratação deixa você para baixo, numa morosidade só, e a água ajuda a recuperar os níveis de energia. Já foi constatado que a taxa de hidratação é menor pela manhã. Então, tomar um ou dois copos do líquido logo cedo é um bom antídoto contra o mau humor matinal. Outra pesquisa recente mostrou que a água torna a malhação mais prazerosa. As pessoas que se hidratavam antes de subir na esteira e a cada 20 minutos, durante o esforço físico, disseram estar mais bem-humoradas ao longo e depois da atividade do que aquelas que não se hidratavam.
Aposte nas gorduras certas
Estudos mostram que dietas com menos de 25% das calorias vindas de gorduras aumentam a ansiedade, a frustração e a raiva. Por isso, nada de riscá-las do cardápio. Mas é preciso escolher as fontes certas, ou pode surtir o efeito contrário. 'Por exemplo, quem ingere muita gordura saturada fica mal-humorada', diz a nutricionista Anna Christina Castilho. A dica é preferir as monoinsaturadas (encontradas no abacate e em oleaginosas) e o ômega-3, presente principalmente nos peixes de água fria. 'Esse tipo de gordura cria um ambiente ideal para a troca rápida de mensagens entre as células cerebrais', afirma Anna. 'Na ausência de ômega-3, o cérebro se adapta e as respostas ficam mais lentas, levando a alterações de humor.'
Tá ruim? escreva
Em momentos de tensão, é comum que nosso cérebro foque em pensamentos negativos. 'Precisamos mudá-los ou neutralizá-los para que não nos influenciem', diz a psicóloga Ana Maria Rossi. Como? Fazendo uma 'faxina mental': identifique exatamente o que passa pela sua cabeça. Depois de isolar os pensamentos negativos, analise-os com calma (escrevê-los num papel pode ajudar). Por exemplo: se estiver preocupada com seu emprego, enumere possibilidades para apaziguar a angústia: converse com seu chefe, conheça a situação da empresa, acione sua rede de contatos.
Promova o bem
Pesquisadores da Universidade da Califórnia pediram a voluntários que fizessem ao menos cinco boas ações por semana. Os mais dedicados - que faziam cinco boas ações por dia - relataram maior sensação de felicidade. Outro levantamento indicou que quem expressa gratidão com frequência - e de forma sincera - também controla melhor a ansiedade.
Assuma você
Seu conceito de felicidade não é bem a família de propaganda de margarina? Ok. Nem precisa ser. Estar encaixada no padrão social não significa necessariamente felicidade. Tente levar a vida de acordo com o que deseja e lute para conseguir. Não é fácil, mas lembre-se de que a maioria das situações que acontecem (de bom e de ruim) com você depende só de você.

2 comentários:

Luz disse...

E por isso que eu digo: quanto mais me aproximo de mim, mais feliz eu sou.

Elisa no blog disse...

Oi Lisa,
Veja que coincidência, vi um documentário sobre esse monge francês no Canal Discovery há um tempo atrás. Até gravei. Gostei muito.

Bebo bastante água e chá também.

Procuro e sempre procurei fazer boas ações apesar de não ser escoteira.

Sempre procuro fazer coisas novas e diferentes.

Agradeço sempre, agradeço tudo e me sinto muito bem agradecendo. Agradeço até as coisas ruins porque elas devem ter algum significado. Às vezes esqueço de agradecer, mas tento lembrar sempre.

Além disso como verduras e frutas orgânicas, procuro fazer exercícios físicos e dormir bem, etc...

Me identifiquei muito com o que vc escreveu. Vc tb. faz tudo isso? Vai ver somos parecidas em algumas coisas. O nome já é quase igual.

beijos,
elisa