domingo, 30 de agosto de 2009

PARAFRASEANDO NIETZSCHE

"Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas."
"Aquilo que se faz por amor - está sempre além do bem e do mal."
"Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura."
"A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as mesmas
coisas boas como se fosse a primeira vez."
"É difícil viver com as pessoas porque calar é muito difícil."
"Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar."
"É necessário ter o caos cá dentro para gerar uma estrela."
"Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo."
"Temos a arte para não morrer da verdade."
"Sem a música, a vida seria um erro"
"A vida vai ficando cada vez mais dura perto do topo."
"O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte."
A vida mais doce é não pensar em nada."

9 comentários:

Aline Gouvea disse...

SEM A MÚSICA A VIDA SERIA UM ERRO. Que verdade absoluta!

R.Vinicius disse...

Lizzie.

Eis Nietzsche a cobrir o silêncio com suas sentenças; paira no ar as idéias a formarem no intimo do leitor a brasa febril. Em toda linha em meio ao laço invisível, o traço do discurso e do ouvinte. Sabe-se muito sobre quem ouve mais do que sobre aquele que fala. Abraço.

Luz disse...

Grandes verdades!!
Boas reflexões para semana.
Beijinhos

Mônica disse...

Lisa
Eu não estou recebendo seus email.
está enviando para monicaagpaiva@gmail.com?
Não estou entendendo porque não recebi nenhum.

Estivemos em SA este fim de semana e a Tonha está aqui conosco.
Daqui a pouco vou no dentista com mamae.
Com carinho Monica

Mônica disse...

Lisa
até esqueci sobre a mensagem.
São lindas! Ms a da música é mesmo muito verdadeira. Uma vida sem music seria monotona e triste.
com carinho Monica

R.Vinicius disse...

Lizzie este final de semana na companhia da insônia li quatro livros – e os terminei com entusiasmo. Nesse domingo, enquanto a madrugada já anunciava a segunda feira – lembrei-me de ti. Eis Oscar Wilde que no fim da vida é reduzido a uma condição; não escreve, nem vive nos salões de festa. Tenho um artigo de Camus sobre Wilde, suas obras. Ao lembrar-me de ti pensei em silêncio se não gostaria de ler o artigo – e claro que em seguida ao pensamento fui resgatar o artigo. Gostaria? Confesso que o artigo é extenso para o comentário e se possível eu lhe envio via E-mail, mas de qualquer forma se não for possível eu mando pelo comentário – o que talvez leve em três ou mais. Aguardo seu contato. Abraço.

R.Vinicius disse...

Lizzie, eu gostei muito da história, principalmente o modo como me envolveu entre o poema, o concurso, a concha onde descansa toda a lembrança. Eu comecei a escrever muito cedo, inclusive a ler, estava com cerca de seis a sete anos. Você podê resgatar essa lembrança minha. Ainda hoje irei lhe enviar o que prometi. Abraço. E hoje tem novos traços, onde tu podes ver-me submerso em questões abstratas.

R.Vinicius disse...

Lizzie desculpe a demora em enviar; acabei de passar para o computador o artigo e já está indo para a sua caixa de E-mail. Ótimo dia. Abraço.

Elisa no blog disse...

Oi Lisa,
gostei muito das frases. Me fizeram pensar bastante.
bj
elisa