quinta-feira, 17 de setembro de 2009

DO OUTRO LADO DA VIDA

O livro de memórias “The Time of My Life”' , que o ator Patrick Swayze escreveu juntamente com sua esposa com Lisa Niemi, será publicado ainda este mês, e alguns trechos foram divulgados para a revista People e para rede de tevê NBC News:
“Comecei a dizer a mim mesmo que vivi muito mais que quaisquer dez pessoas juntas, e foi uma aventura incrível, então está tudo bem.” “Eu estava empolgado com a guinada para cima em minha vida'', escreveu Swayze.
O astro de “Dirty Dancing” e “Ghost - Do Outro Lado da Vida”, faleceu na segunda-feira aos 57 anos após perder uma batalha de 20 meses contra um câncer. Enquanto fazia quimioterapia, Swayze ainda protagonizou a série policial ''The Beast'', que teve uma única temporada nos EUA. Swayze foi diagnosticado com câncer pancreático em janeiro de 2008, cuja taxa média de sobrevivência é de cinco anos.
O ator fez as pazes com a “idéia” de morrer de câncer pancreático, e disse que a sua luta contra a doença foi “uma montanha russa de emoções”. “Há dias em que me sinto determinado a viver até surgir uma cura, e há dias em que não sei como consigo seguir em frente.” “De repente tudo parecia uma piada cruel. Eu não podia estar morrendo, tinha muitas coisas pelas quais viver!”
Judith Curr, editora da Atria Books, disse à NBC que, quando Swayze decidiu escrever o livro, “queria ver se tinha vivido uma boa vida.”
Juntamente com a sua biografia, Swayze deixou uma comovente carta de amor para sua mulher, Lisa Niemi, com quem estava casado há 34 anos. “Sou muito grato por você ter escolhido me amar. Eu sei que, por causa de você, achei minha alma e me tornei no homem que sempre quis ser. Você é minha mulher, minha amante, minha amiga e minha dama. Eu sempre te amei, eu te amo agora e vou amá-la ainda mais”


***
"Qualquer um pode carregar o seu fardo, embora pesado, até anoitecer. Qualquer um pode fazer seu trabalho, embora árduo, por um dia. Qualquer um pode viver mansamente, pacientemente, amistosamente, até que o Sol se ponha. E isso é o que realmente a vida requer." (Stevenson, escritor britânico)

É errado pensarmos que a vida é um jogo e que, se algo acontecer não exatamente conforme as nossas expectativas, poderemos jogá-lo de novo com novas chances de ganho. Seria uma tolice considerar que temos direito a um caminho de triunfos, sem sofrimentos, sem coragem nem heroísmo. Porque isso, não se sucede a ninguém e não é deste mundo. Aqui é preciso escolher e, depois, seguir em frente até o fim. Por vezes com os ombros pesados de cansaço, de dor, de desilusão, de fracasso. Mas por pura preguiça, um homem pode chegar ao final da sua vida sem conhecer bem a si mesmo e sem ter conhecido aquilo que seria fundamental. Poderá atingir o último centímetro do seu tempo e verificar que chegou as mãos vazias. É preciso saber escolher (o que queremos e como faremos), afinal a única pessoa que você vai encontrar lá na frente, é você mesmo. E lá no finalzinho, que a gente possa dizer como Swayze "vivi muito mais que quaisquer dez pessoas juntas e foi uma aventura incrível" .

6 comentários:

Luciane Miranda disse...

nossaa
=/
eu fiquei triste que ele morreu, mas a mulher dele deve ta sofrendo mto! Pq parecia que eles se amavam muito!

bem legal seu blog viu!
bjs

Luciane Miranda disse...

tem selinho pra vc no meu blog
;)
vai lá
espero que goste

bjussss

Diego Borges disse...

Bem ,isso é uma das regras deste mundo. Sempre teremos um a preço a pagar por aquilo que queremos ou fazemos,e nesse preço tem muita coisa embutida.
Um abraço !:)

Elisa no blog disse...

Fiquei triste com a morte dele. Ele era tão bonito, fez filmes marcantes.
Belo texto o de hoje.

Obrigada por escrever que sou mais que uma fada madrinha, que sou uma amiga. Valeu. Fiquei muito contente.

bj

bacouca disse...

Lisa,
Como é importante pude dizer isso quando chega a nossa hora: vivi por 10 pessoas juntas! E é tambêm tão importante que nessa hora termos os olhos fechados mas o coração continua aberto...!
Um beijinho

Mônica disse...

Eu assisti ao filme um montão de vezes.
Eu adorava a atriz comediante.
Eu não vi que ele tinha morrido. Era um grande ator. E agor gosto mais dele por saber que tinha carinho pela esposa.
Com carinho Monica