quarta-feira, 28 de outubro de 2009

UMA HISTÓRIA DE AMOR

Wolfgang Amadeus Mozart, grande compositor clássico, nasceu no dia 27 de janeiro de 1756, em Salzburgo, na Áustria, é considerado um dos músicos mais famosos no século XVIII . Foi em Paris, quando Wolfgang tinha sete anos, que suas primeiras obras publicadas apareceram. Ele teve vários anos de glória, sendo reconhecido por reis e rainhas de toda Europa.
No entanto, nunca soube lidar com dinheiro. A sua bondade e genialidade musical eram exploradas por grandes oportunistas. Já casado, começou a ver sua vida desmoronar. A mulher, o abandonou. A mãe, que tanto amava, adoeceu gravemente. Então, sem dinheiro, vendia composições em troca de remédios para sua mãe, que faleceu após alguns meses. Triste e desiludido, Mozart caiu enfermo.
O único amigo fiel, que ficou ao seu lado até o dia de sua morte, em 5 de Dezembro de 1791, foi seu cachorro. Mozart foi enterrado numa vala comum, em Viena. Sua mulher, Constanze Weber, que estava em Paris, ficou sabendo da morte e partiu para Viena a fim de visitar o túmulo do marido. Ao chegar lá, entrou em desespero ao saber que seu ex-marido fora enterrado como indigente, sem que lhe dessem nem uma placa com seu nome como lápide.
Era dezembro - inverno europeu - fazia frio e chovia em Viena. Constanze, então, resolveu ‘vasculhar’ o cemitério à procura de alguma ‘pista’ que pudesse dizer onde Mozart fora enterrado. Procurando entre os túmulos, viu um pequeno corpo, congelado pelo frio, em cima da terra batida. Chegando perto reconhece que era o cachorro querido de Mozart.Hoje, quem visitar Viena, verá um grande mausoléu, onde está o corpo de Mozart e de seu cachorro. Foi por causa do amor desse animal de estimação que Mozart pode ser achado e removido da vala comum para uma de reconhecimento.

3 comentários:

R.Vinicius disse...

Que história interessante! A desconhecia por completo. Há uma história semelhante no Japão (se não me falha a memória). Abraço.

Aninha Leme disse...

que linda história!
e como eu amo esses animaizinhos!
são verdadeiros anjinhos que Deus colocou na Terra para nos alegrar!
hihihi

besosss

Elisa no blog disse...

Pensei que o corpo de Mozart nunca havia sido encontrado, ou melhor, ouvi que o túmulo era uma vala comum junto com outros. Legal saber.
O Vinicius trouxe uma história interessante do japão.
Estou esperando vc mandar seu end. para te enviar as sementinhas.
bj