quinta-feira, 29 de outubro de 2009

UM CAFÉ COM SHAKESPEARE

Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade...
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração.
(William Shakespeare)

5 comentários:

JCesar disse...

Oi Lisa. Meu 'nick' no MSN é:
É possível viver só mas é impossível viver sem amar. Não se pode medir o amor porque não dá para prendê-lo.

Esta 'arvore' que vos fala (rs) pensou que jamais conseguiria amar novamente.A minha separação conjugal foi dolorosa para mim. Houve várias etapas que não irei abusar desse espaço para te contar.Quando consegui finalmente ter uma 'visão' externa, e compreendi tudo que havia se passado, achei que meu coração iria endureçer de tal forma que não seria capaz de amar (aqui, amor em relação ao sexo oposto/relacionamento.Nas outras formas, ok)alguém novamente. Aí aconteceu de conhecer alguém. Porém não foi possível estabelecer uma relação. Mas, aprendi 2 coisas:
- que podia amar novamente, sem receios;
- e a controlar esse amor. Antes um apaixonado inveterado, negando constituir a própria identidade em prol do bem estar do outro, agora, sabendo dosar a intensidade.

Eu me anulava. A vida era a outra(pessoa). Anulando-me, deixava de existir para a outra pessoa, sacramentava o próprio fim. Parece óbvio hoje, mas foi muito complicado por muito tempo. Fui atraz do antigo eu para recriar um novo eu. Puro novamente, sem dores, feridas, que iriam com certeza preconceituar alheios.

Para Platão, o amor verdadeiro transcende a matéria. Você simplesmente ama. Não ama a coisa 'outra pessoa'. Você ama a existência da outra pessoa. (O amor platônico. E esse é o mais puro amor, que não é carnal).
É lindo falando, muito complicado na prática (assim como foi o casamento de J.P.Sartre e Simone de Benvoir). Porque não ser o próprio objeto de estudo? Acabei fazendo isso quando nutri certo amor por uma pessoa em que a impossibilidade de haver uma relação existia (não, não era casada..rs, e sou hetero!) Assim, foi uma experiência eletrizante, meio louca, aventuresca talvez.
O que seria 'Garota de Ipanema' se Vinícius não visse Helô P.?
Amor sem amizade é paixão. Arde, queima, finda.
Amor sem sexo(*) é amizade.
.
O fato é que sou suspeito para falar de amizade, amor e paixão.
Adorei seu post.
Amooooooo café, como bom italiano.
Esse 'momento amigo' que esse 'afro-decendentezinho' proporciona é muito gostoso.


Farei reverencia a tí, ok?
com Shakespeare, Café Filosófico!
Vamos?
te "encontro" lá.
bjim
JC

JCesar disse...

Lisa, controlarei meus impulsos em não fazer um post em meus próximos comentários.
Desulpe a todos.

Elisa no blog disse...

Que coisa mais linda.
Só podia ser Shakespeare.
Posso fazer copy paste e mandar para os amigos? e amigas?
bj

Segismundo disse...

adorei a foto!

eu vou seguir-la

Aninha Leme disse...

gente, que coisa linda!
eu nunca tinha lido isso!
consegui enxergar algumas coisinhas que me ajudam muito a tomar uma decisão na minha vida amorosa... Lisa, vc é um anjo!

obrigada!

besos