quarta-feira, 25 de março de 2009

"Sofrer? Só se for rápido"

A revista M.Claire desse mês, entrevistou a atriz Bel Kutner, 38anos (a intérprete da tresloucada Amelinha, de A Favorita, aquela emergente que trancava os filhos no armário e os alimentava com pipoca) . Filha mais velha da atriz Dina Sfat (morta em 1989 depois de três anos de luta contra um câncer de mama e do ator Paulo José) Bel é daquelas cariocas debochadas, que gosta de jogar conversa fora, tomar um choppinho de vez em quando e dar um mergulho na praia final da tarde!O que pouca gente sabe é que, por trás dessa persona engraçada de Bel; a qual vive entre dor e alto-astral, existe uma luta e tanto, que vai além da superação da morte da mãe ou da doença do pai. A atriz vive hoje, um de seus momentos mais maternais e dedica-se quase que integralmente ao filho Davi: um meninão de 3 anos que sofre de uma síndrome degenerativa ainda pouco conhecida no Brasil.
Nessa mesma entrevista, a atriz de 38 anos fala da dificuldade que foi contar ao pai (que sofre a 15anos do mal de Parkinson) sobre a doença do filho, do despreparo de médicos envolvidos no caso e de como, apesar dos percalços, descobriu seu talento nato para ser feliz. Ela cita ainda a importância de se ter uma Rede de Amigos, dos quais ela chama de "asilo próprio".
Ela ainda brinca: "essa coisa de quem vai cuidar de mim não pega.. aos ficarmos velhinhos, uns cuidarão dos outros, por isso chamo de asilo próprio. E sei que, na vida, perdemos gente e temos problemas.Tem gente que quebra a unha e fica pra morrer, né? Já eu acho que 99% da população adoraria estar no meu lugar? Minha mãe morreu, meu pai tem Parkinson, meu filho tem uma síndrome rara, meu casamento terminou e estou desempregada porque A favorita acabou, mas tem gente que não tem o que comer, não pode tomar uma vacina!"Viu como é legal ser burguesa num mundo ferrado?", mas assim como há sofredores, há quem tenha talento nato para a felicidade!"

*Confesso a vocês que o depoimento dela mexeu muito comigo e também me despertou. E eu que achava que tinha problemas?!? Bel kurtner é realmente um exemplo de mulher, batalhadora e guerreira e ainda por cima acredita ter um talento nato pra felicidade!!! O que mais posso dizer, senão que aprendi muito com sua história de vida?
Bel, parabéns pela mulher que você é !

2 comentários:

mar e ilha disse...

Engraçado, um dia desses cruzei com ela no aeroporto e estava rindo. Na verdade tinha uma antipatia gratuita por ela. Que horror né!!!Mas depois de saber dessa estoria só tenho que "tirar o chapéu" para ela. E tem tanta gente ai reclamando por nada né. Vamos tentar ser felizes, apesar dos pesares.

Lisa Nunes disse...

Marilia,
acho que todos´nós temos uma certa mania de 'julgar pelas aparências', eu tambem não ia muito com a cara dela, digo, nunca a vi pessoalmente, mas a 'julgava' ser uma pessoa antipática. QUe coisa néh?! eu tambem fiquei pasma e admirada com a história dela, por isso publiquei. Nós não devemos ser as únicas que achávamos isso da atriz. Bjos