sexta-feira, 20 de março de 2009

"CHECKUP DA ALMA"


A revista Claudia desse mês, publicou uma matéria bem interessante, ensinando um roteiro de como ivestigar as forças idivisíveis que definem o nosso estado de ânimo e impulsionam nossos atos.
Aperto no peito? Choro sem motivo aparente? Sensação de que a vida emperrou? Todo mundo já passou por isso. Seria a tal dor da alma?
Difícil definir. Às vezes, é dor-de-cotovelo! Mas quem disse que cotovelo e alma não se comunicam? Os assuntos do cotidiano, do coração e do espírito não estão separados – uns afetam os outros. O psicoterapeuta Nei Ricardo de Souza, lembra que, graças à arte, à filosofia e à religião, existem variadas concepções de alma.Para a ciência, é o exame das funções psíquicas, como o humor e a criatividade, entre outras, que nos permite fazer um checkup da alma”.

Comece testando seu nível de flexibilidade:
A maleabilidade evita dispêndio de energia, beneficia suas relações e, sobretudo, prepara você para as mudanças. Afinal, tudo muda. Basta observar a natureza para comprovar essa máxima. Existem fases de crescimento, estabilização e declínio. Sábia é a mulher que consegue identificar as características de cada situação e adaptar suas atitudes a ela”, diz Dr. Souza. No cotidiano, o espírito flexível potencializa o senso de oportunidade.

Temperatura emocional:
Faz parte da vida ficar triste, ansiosa ou amedrontada, às vezes. A variação emocional dá colorido à vida. Você só deve ficar preocupada se “congelar” num único estado. Talvez chegue a conclusões surpreendentes sobre si mesma”, diz o terapeuta. Como exercício, ele sugere um diário. “O exame contínuo desses registros íntimos favorece o autoconhecimento.” Além de fazer muito pelo seu humor, ele ajuda a regular a temperatura emocional do ambiente à sua volta.

Fluxo de criatividade:
Existem muitos modos de ser criativa. Por isso, evite julgar essa capacidade apenas pelas ideias profissionais. Esse aspecto é supervalorizado hoje em dia, mas sabemos que, às vezes, as ideias existem, porém o ambiente não permite explorá-las. O que precisa ser avaliado é: até que ponto você assume a autoria da própria vida? Esse é o sumo do poder criativo, que faz uma mulher se reinventar toda vez que é desafiada.

Qualidade nas relações:
Todos passamos por períodos mais ou menos favoráveis ao contato social e afetivo. O problema é cair no extremo: tornar-se muito isolada e introspectiva (yin) ou, então, partir para várias conquistas (yang) sem conseguir ficar um minuto sozinha. Para Souza, a qualidade de nossos laços está atrelada à relação que temos conosco. Quem está bem consigo mesma tende a criar ligações saudáveis; já quem transforma as relações num inferno revela desajustes importantes, mas se recusa a vê-los e acaba projetando seus defeitos nos outros.”

Questão de ritmo:
Vivemos na era da pressa, o que não significa que temos de ser engolidas por ela. No trabalho, cada uma de nós deve descobrir o próprio limite e respeitá-lo. Existem pressões que consideramos parte do jogo, e existem outras que nos violentam, nos fazem adoecer. Aí é hora de mudar, e nem sempre é possível fazer isso de imediato. Vale a pena estabelecer metas de médio ou longo prazo, em busca de situações mais saudáveis.

3 comentários:

Rafael Finger ;) disse...

Bá Lise lise tu escreve muito bem. O blogue ta bem legal, blog com informação e cultura ta dificil na internet hoje. mas é só impressão ou ele é dirigido as mulheres exclusivamente ? Me identifiquei com o "congelado" num unico estado apenas, ou pelo menos era como encontrava-me anteriormente ^^.

Mas está de parabéns

Muito bom mesmo Beijão

Anônimo disse...

Lisa
O mais dificil é a temperatura emocional.
Ter equilibrio, é tão dificil, as vezes. As outras sugestões sã mmais fáçeis de seguir.
Com amizade Monica

Lisa Nunes disse...

Rafa, o blog está aberto a todos, sem nenhuma pretensão de escrever só para mulheres..e tu não estas mais congelado que eu sei; (pelo contrário.. teu coração está pra lá de aquecido) e continues assim, muito feliz!!
Te adoro meu querido, beijosss

Mônica, realmente o mais difícil é mantermos o equilíbrio emocional - mas o pior que essas variações, é congelarmos num único estado!!
Grande abraço e boa semana