quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

QUEBRANDO A ROTINA


"CRIAR é OXIGENAR a rotina.
INTERROMPER o que está dando errado para ouvir música, mudar de lugar, abrir um champanhe gelado, se deixar envolver pelo novo para se inspirar e querer recomeçar.
Simples assim"

A criatividade é vizinha da inteligência e as duas se complementam. Enquanto o inteligente é capaz de montar um espetacular banco de dados e dispor dele,o criativo tem o poder de sintetizar as informações e combiná- las para obter algo novo e diferente. Em maior ou menor grau, todos nós temos essa habilidade. O que acontece é que a gente se acomoda, deixa de usar e ela acaba enferrujando. Para aceitá-la é preciso, antes de tudo, reconhecer que somos guiados por padrões e eles nos amarram à mesmice.
Padrão é um modelo que adotamos à risca para executar todas as etapas de uma tarefa. "Se o seguirmos com bastante freqüência, ele se torna de tal forma automático que cumprimos as etapas sem sequer pensar nelas", afirma o psicanalista americano Farrell Silverberg no livro COMO QUEBRAR PADRÕES E ROTINAS E MUDAR DE VIDA. Silverberg explica ainda que, com o tempo, o modelo passa a constituir uma segunda natureza - se torna parte de nós. Temos um padrão para reagir quando ficamos doentes, para lidar com uma aflição, encarar desilusões ou mesmo para tratar dos assuntos relacionados ao trabalho e ao dinheiro.
Alguns padrões podem até ser produtivos - tais como aqueles que nos fazem ganhar tempo ou poupar recursos - mas a maior parte deles impede o crescimento pessoal. Reconhecido isso, o próximo passo é dar corda à imaginação para romper com aqueles que nos travam.

O que desenvolver para inovar? As idéias não nascem no vazio. Elas só brotam com base na estimulação. Ir ao cinema, ler, viajar, conhecer pessoas suscita imagens, que são a matéria- prima das idéias. Para que elas ganhem corpo, os estudiosos recomendam três atitudes: questionar sempre (nada de se contentar com as "verdades absolutas"); observar muito (é daí que vem a descoberta); e tentar combinar coisas que ninguém combinou antes. Dessa forma, você cria condições para ter estalos e para efetuar mudanças capazes de dar colorido ao seu dia-a-dia. Também vale simplesmente incrementar o que você já conhece. Nessa linha, experimente exercitar estes verbos: adaptar, substituir, reduzir e adicionar. Antes deles, coloque o condicional: E se eu adicionasse isso a aquilo? E se eu reduzisse tal coisa?
No livro "UM CHUTE NA ROTINA", o especialista em criatividade Roger von Oech sugere ao leitor encarnar 4 papéis: explorador, artista, juiz e guerreiro. O primeiro levanta informações. O segundo usa a intuição para revirar e organizar o conteúdo recolhido. Depois entra em cena o lado que pondera prós e contras, procura falhas, analisa riscos e prevê conseqüências antes de tomar uma decisão. Já o guerreiro coloca a decisão em prática. Antes de sair a campo, elabora táticas para evitar contratempos e neutralizar opositores durante a batalha. Que tal começar já?
(Fonte Revista Super Interessante)

8 comentários:

JCesar disse...

Sam...toque outra vez.

JCesar disse...

...assunto complexo filosoficamente...na antiga grecia, houve os partidarios do plano das ideias, e posteriormente outros que defendiam a razão, o obervavel. Quem sabe aproveito o final de semana para fazer um post com uns topicos...e reflitam depois.
bjs.
Julio

mar e ilha disse...

REalmente a rotina mata... e as vezes dá para ser criativo no simples. Adorei este texto.
beijos

Cris Tarcia disse...

Olá!

Seu conhecendo o seu blog, adorei os textos, um cantinho muito agradável, Vou voltar

Um abraço

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Eu adorei esse texto. Perfeito.
Realmente, como a gente fica amarrado a roteiros pré-estabelecidos, fórmulas de conduta, de pensamentos.

Criar realmente é oxigenar nossa alma, sair da cansativa rotina.

Muito bom!

Fabiano Mayrink disse...

Lisa belo texto novamente, tem uma grande diferença no inteligente para o criativo, o inteligente nao conseguei driblar as "dificuldades" ja o criativo arruma belas coisas com as "dificuldades" isso sim e dom! um abraço apertado!

Mônica disse...

Lisa
Eu tinha uma rotina, quando dava aula. Hoje é sempre novo. Não sei o que vou fazer e é muito bom.
Com carinho Monica
Ainda estou sem internet e só arrumarão semana que vem
BH está chovendo muito também

Elisa no blog disse...

Bela lembrança sua sobre a rotina e hábitos.
Vc se lembra dos casos de pais e mães que esqueceram seus filhos no carro e eles acabaram morrendo?
Os psiquiatras dizem que ocorreu porque as pessoas saíram da rotina e esqueceram de alguma etapa. é assustador. Mas parece que a mente das pessoas que tem rotina funcionam assim.
Muita paz para vc.