terça-feira, 7 de abril de 2009

PROVA DE AMOR

– Amor, você iria me amar mesmo que eu engordasse trinta quilos?
– Benhê, você iria me amar mesmo se eu perdesse todos os dentes?
– Querido, você iria me amar mesmo que eu ficasse dez anos em coma?
– Amore, você iria me amar mesmo se eu tivesse um problema hormonal e ficasse tão peluda quanto o Tony Ramos?
Mulher adora uma prova de amor e, quanto mais absurda, melhor. Coitado do rapaz se ele disser: “Eu iria é procurar uma companheira em forma, com um sorriso bonito, serelepe e depilada!”. Seria metralhado na hora, o pobre. Já notou como é corriqueiro casais engordarem? Há momentos diversos na engorda a dois: um é quando você, depois de uma longa caçada no mercado amoroso, finalmente encontra alguém que volta, alguém que você deseja e que deseja você, alguém que te faz rir e segura sua mão num filme triste, alguém que nem pestanejou em trazer a escova de dentes para o seu banheiro. Aleluia! Alívio! É então que você é invadida pelo prazer de que se via há muito privada, é então que você relaxa e se abre para o deleite em larga escala para todas aquelas maravilhas que voce se privou (para se manter em forma) antes de encontrá-lo e experimenta as mesmas sensações, e voilà, vocês engordam juntos.
Pós-matrimônio acontece a mesma coisa. Existe época mais estressante do que a preparação de um casamento? Quando o estresse termina e as lembranças estão seguras no pen-drive de um bom fotógrafo, pronto, é hora de aproveitar o deleite do enfim-sós, com muita cama, muita mesa e muito banho a dois.

Já casais enfastiados, tristes, arrependidos, desapaixonados, ainda sem coragem para se separar, também engordam: é o símbolo da desistência, do cansaço, da desilusão. É um relaxamento sem as bochechas coradas dos amantes. Há ainda aqueles que enfrentam a óbvia constatação de que continuam se sentindo atraídos por outras pessoas e que são apenas eles os responsáveis pelo que fazem com seu desejo. É aí que muita gente engorda para se tornar menos atraente e assim empurrar para o corpo uma decisão que não se sente forte o bastante para tomar. Em outras palavras: “Eu não consigo resistir à tentação sexual, então meu corpo irá dizer ‘não’ por mim: vou engordar”. Talvez eu esteja doida, mas pensando bem: nós somos corpo e alma, certo? A alma quando ama, ama para sempre. Já o corpo..
Quando um casal engorda, enfeia, embaranga juntos.. a alma deles pode continuar se amando, mas e os corpos? Cadê a faísca do desejo? Cadê a atração física que passa também pelo que se vê? Cadê o tesão de ver sua mulher sendo desejada por outros homens? Cadê o frisson de ver seu homem praticando um esporte, tornando os músculos brilhantes de suor? Não dizem que o amor é uma plantinha que precisa ser cuidada? Nesse caso o tesão só precisa de um vaso.

4 comentários:

mar e ilha disse...

Oi LIsa, estava viajando e estava tirando os dias para ficar literalmente com o meu marido. Aproveitei muito e não tive tempo para passear pelos meus blogs prediletos, incluindo o seu, é claro. Mas estou de volta . E, nesse tempo meu blog ficou fora do ar, sei lá porque motivo. Hj ele voltou a ativa. Acho que estava de férias assim como a dona. Vou postar algo hoje. Ah, eu já encontrei o meu marido gordinho... mas estou engordando.. Será que fase estou. vou pensar a respeito.

Mônica disse...

Lisa

Acho que o amor não tem muita coisa a ver com gordura. Tenho amigas que namoram os seus maridos até hoje e são gordinhas.
Uma ficou até sem dente por bastante tempo. E eu achava lindo ve-los conversando e se abraçando.
Eu gosto do casal pois me passa muito amor um pelo outro.
E os filhos. Quando a mãe estava doente foram elas que ficaram no hospital ,apesar de novinhas, a mais velha tem 20 anos. E ainda tinham que arrumar a cama.
Com amizade Monica

Lisa Nunes disse...

Marília e Mônica,
eu citei a gordura como um exemplo, por que na verdade eu estava querendo falar de desleixo.
E sei também que existem outras formas de demonstrar que não estamos mais a fim do outro, mas o desleixo pode ser uma delas. Eu também conheço casais que engordaram juntos e nem por isso deixaram de se amar, continuavam vaidosos e cheirosos um pro outro. Acho que mais importante do que se preocupar com o peso, é se sentir bem e ter o cuidado com o outro. Quando você gosta de alguém, você geralmente gosta de presentear essa pessoa e eu penso que nada substitui nossa presença, e que o cuidado com nós mesmos ainda significa o melhor presente. Tem um texto da Leila Ferreira que diz 'A Alma na balança',onde ela fala da importância de mantermos o equilíbrio entre a alma e o corpo. Nem uma coisa, nem tanto a outra. Acho que ela diz tudo.
Um grande abraço pra vocÊS duas!

mar e ilha disse...

Lisa,
você tem razão qdo diz que o cuidado com nós mesmos ainda significa o melhor presente para o outro.
Algum tempo atrás, uma amiga minha que tb é minha vizinha me falou na maior sinceridade, que eu ficava todo dia de pijama, e de qualquer jeito em casa e brincou que eu iria perder o marido para outra mais Arrumadinha.
Realmente ela tinha razão. Eu adoro colocar um pijama quando chego em casa, mas tem que ser um bem velhinho e mulabento? Não. Então fui as compras e adquiri vários pijaminhas novos para ficar confortável e também atraente.