segunda-feira, 27 de abril de 2009

Nada precisa ser como é

Uma seleção de poemas do livro Nada precisa ser como é, de Paulo Sérgio Rosa Guedes:

Revisão
É preciso viver no mundo da lua; de lá se enxerga melhor a terra.

Caixinha de música
Quem não curte a si acaba vivendo sem dó.(e pode, até, sentir-se ré).

Seriedade
O riso realmente é uma das coisas mais sérias que existe.

Eus
Eu se eu pudesse eu saía cada um pr’um lado.

Poema pra mim
O que leva o jovem à insônia é o que faz o velho dormir.

Solução
É preciso morrer antes do fim da vida.

Lucidez
Chegará o dia em que poderei viver sem a minha companhia?

Fantasma
Aquilo que passou ou se torna passado ou permanece presente.

Solidão
É insuportável sermos tão diferentes uns dos outros.

Assertivas e Contrariedades
Se as palavras não fossem ambíguas como é que a gente iria falar?

Re-seita
Se querem a sorte e não sabem achá-la, orem: agora,e até a hora da nossa morte, amem.

O vínculo com sentido,
querida,
só busca nos afastar.
Ele é a voz do consenso
provoca um vazio imenso
não nos faz particular.

Paulo Sergio Rosa Guedes, é poeta, psiquiatra, mora em Porto Alegre, um homem com ideias vanguardistas e libertárias, que defende que não precisamos ser reféns das nossas escolhas e muito menos da opinião alheia.

7 comentários:

mar e ilha disse...

LIsa, nao sei muito ler poesia. Não é o meu "forte", pois não consigo interpretá-las. Gostei da última frase: "nao precisamos ser reféns das nossas escolhas". Isto dá um post...

Aline Gouvea disse...

Lisa, que coisa gostosa começar a semana com essas "gotinhas" de poesia. Obrigada.
Boa semana para nós todas!

Mônica disse...

Lisa
Eu adoro poesia.
Mas não sei declamar.
Lia para os meus aluninhos e fazia com que decorassem, para recitar nos dias das mães e dos pais.
E ficava parecendo como as mães das crianças. Orgulhosa por terem recitado tão bonitinho!
Eu gostei do E preciso viver no mundo da lua. De lá se enxerga melhor a Terra.
Com amizade Monica
Passe lá na minha segunda casa.

Mônica disse...

lisa
Não fique jururu, não.Aperto no coração, nós todos temos.
De uma voltinha na rua. Visite uma amiguinha. E depois volte depressinha pra casa. Voce vai estar melhor.
com amizade Monica

Lisa Nunes disse...

Monica, você sempre tão querida e carinhosa. AMO VOCÊ. A DISTÂNCIA NÃO INTERFERE. BEIJOS!

Mônica disse...

Lisa
Que bom! Já está otima.
Amanha quero ver outro texto.
Sou sua amiga. Que a distancia não é dificuldade.
5a feira irei para Santo Antonio. Não vejo a hora de abraçar minhas amigas.
E saber das novidades. Nenhuma delas tem internet, então fica mais dificil do que tudo. Quero saber se uma já é vovó. A outra vai casar a filha.
E tanta coisa, que não sei se uma semana vai dar tempo de ver tudo.
Um abraço
de sua mais recente amiga.
Monica

Luz disse...

Adorei.
Será que acho o livro aqui em Vitória?
Parabéns pelo seu blog