sábado, 17 de julho de 2010

BOM FIM DE SEMANA

Mude
Mas comece devagar,
porque a direção é mais importante
que a velocidade.

Sente-se em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair,
procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
ande por outras ruas,
calmamente,
observando com atenção
os lugares por onde
você passa.

Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira
para passear livremente na praia,
ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas
e portas com a mão esquerda.

Durma no outro lado da cama...
depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais...
leia outros livros,
Viva novos romances,
Renove o seu romance com a mesma pessoa

Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia
numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores,
novas delícias.

Tente o novo todo dia.
o novo lado,
o novo método,
o novo sabor,
o novo jeito,
o novo prazer,
o novo amor.
a nova vida.

Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.

Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado...
outra marca de sabonete,
outro creme dental...
tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.

Troque de bolsa,
de carteira,
de malas,
troque de carro,
compre novos óculos,
escreva outras poesias.

Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.

Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas,
outros cabeleireiros,
outros teatros,
visite novos museus.

Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação,
um trabalho mais light,
mais prazeroso,
mais digno,
mais humano.

Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento,
o dinamismo,
a energia.
Só o que está morto não muda.

(Edson Marques)

4 comentários:

bacouca disse...

Lisa,
Minha querida, como o tempo voa. Há um mês que nao vinha aqui até porque visitava e não via nada escrito e julguei que tivesse tirado uma licença sebática!. Também minha vida tem tido transformações às quais vou aceitando mas confesso que fazendo um luto lento. Mas Deus me há-de ajudar.
Fiquei tão feliz por a ver no meu cantinho que expontaneamente deixei uma coisa para si e Laura.
Um beijo com muito carinho

Elisa no blog disse...

Lisa,
O cachorrinho da foto não é meu. Eu passeava com ele a pedido de uma amiga que foi embora para a Inglaterra e o marido ficou aqui. O cachorrinho ficava o dia todo em casa, mas precisava sair com alguém para fazer xixi. Agora ele já foi para a Inglaterra.
Pensando bem talvez esse professor seja pedófilo, que perigo.
beijos,
Elisa

Andrea disse...

Lisa ,,
amei seu post hoje ,,Sábias palavras da Cecilia Meireles ..
beijão e ótima semana pra vc

Edson Marques disse...

Que bom que você gostou do meu poema Mude!

Porém, ao contrário do que você diz, não é de Cecília Meirelles.

No meu blog publico todas as "provas":
1. Registro do poema Mude na Biblioteca Nacional em agosto de 2003.
2. Livro Mude, editado pela Pandabooks, com prefácio de Antonio Abujamra.
3. CD Filtro Solar, Pedro Bial, onde na faixa 4 o Mude foi publicado (contrato que fiz com a Sony Music)
4. Há milhares de publicações com a citação de autoria correta, em meu nome.

Enfim, o que o escritor mais gosta é disso mesmo: ver sua obra reconhecida -- mesmo que com autoria "transferida" para Cecília Meirelles...

Espero tua visita.

Flores,